Guarda municipal do Rio registra 8,2 mil infrações a pessoas sem máscara em pouco mais de 4 meses

Extra
·2 minuto de leitura

As ruas do Rio têm ficado cada vez mais cheias, mesmo que a pandemia do novo coronavírus não tenha acabado. As aglomerações e os pedestres sem máscara, na mesma toada, se tornam menos incomuns. Um indicador disso pode ser observado num levantamento que a prefeitura do Rio divulgou neste domingo, que mostra que, entre os dias 5 de junho – início das notificações – e o último dia 22 de outubro, foram registradas 8.238 infrações pela não utilização de máscara, seja em vias públicas ou em estabelecimentos comerciais. O número corresponde a 82,71% do total de 9.959 infrações anotadas durante este período pelos agentes.

De acordo com a Guarda Municipal, 7.769 infrações pelo não uso de máscara aconteceram nas ruas da cidade, e 469 dentro de estabelecimentos. São 606 advertências por aglomerações. Confira os números, segundo a GM:

No geral, 8.147 (82%) autuações foram aplicadas em pessoas físicas por meio do CPF e 1.812 (18%) em pessoas jurídicas.

Neste fim de semana, as equipes atuaram em praças, parques, além de fiscalizar diversos tipos de estabelecimentos, como lojas comerciais, bares, restaurantes e quiosques. Nos fins de semana, as ações noturnas são direcionadas nos quatro micropolos gastronômicos: Rua Dias Ferreira, no Leblon; a Rua Nelson Mandela, em Botafogo; Avenida Olegário Maciel, na Barra da Tijuca; e Praça Varnhagem, na Tijuca.

Além desses pontos, outras áreas também receberam fiscalização, como a Mureta da Urca; orla de Copacabana; Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, Praça São Salvador, em Laranjeiras, Ruas do Catete e da Glória, na Zona Sul; Praça do Trem, no Engenho de Dentro, Vila da Penha, Madureira e Inhaúma, na Zona Norte; Praça Montese, em Marechal Hermes e na Praia da Bica e Praça Jerusalém, na Ilha do Governador, entre outros bairros.

A fiscalização nesses locais entre a sexta-feira, dia 23, e a manhã deste domingo, dia 25, resultou na aplicação de 238 multas de trânsito por diversas infrações, entre elas o estacionamento em locais proibidos, como na calçada, em fila dupla ou em vagas destinadas a idosos e a pessoas com deficiência.

No sábado, quando o bairro de Engenho de Dentro, na Zona Norte, recebeu a volta do tradicional Samba da Feira, que proporcionou cenas de muita aglomeração, os agentes da Guarda Municipal, da Secretaria de Ordem Pública, da Fazenda municipal e policiais militares também foram ao local. De acordo com a prefeitura, foram encerraram atividades de 58 pontos comerciais - entre food trucks, atrações infantis (como pula-pulas e camas elásticas) e barracas de ambulantes – que funcionavam sem autorização na Praça Alberto Torres, no Engenho de Dentro. Ao todo, 26 barracas, 14 food trucks, dez bancas de ambulantes, quatro camas elásticas e dois pula-pulas infláveis foram desmontados ou fechados.