Guarda Revolucionária do Irã acrescenta navio de guerra à frota em meio a tensões com os EUA

O Globo e agências internacionais
·2 minuto de leitura

TEERÃ — A Guarda Revolucionária do Irã acrescentou um navio de guerra capaz de transportar aeronaves, lançadores de mísseis e drones à sua frota, informou a mídia estatal nesta quinta-feira, em um momento de alta tensão entre Teerã e Washington. O antagonismo entre os dois países aumentou desde 2018, quando o presidente Donald Trump retirou os Estados Unidos do acordo nuclear assinado em 2015 entre as cinco maiores potências mundiais e o Irã e impôs sanções que paralisaram a economia iraniana.

O anúncio na TV estatal iraniana foi feito dias após uma reportagem revelar que, faltando dois meses para concluir o mandato, Trump havia pedido opções para atacar a principal instalação nuclear do Irã em Natanz, a principal do país, mas decidiu voltar atrás. A República Islâmica reiterou que qualquer ataque dos Estados Unidos enfrentaria uma resposta “esmagadora”.

Ameaça: Irã afirma que qualquer ataque dos EUA contra país terá ‘resposta esmagadora’

A reunião na Casa Branca, segundo o New York Times, aconteceu na última quinta-feira, um dia depois de inspetores internacionais relatarem um aumento significativo no estoque de material nuclear iraniano. Trump se encontrou com conselheiros sêniores para perguntar se poderia, então, atacar a usina de enriquecimento de urânio de Natanz nas próximas semanas, segundo funcionários atuais e ex-funcionários do governo ouvidos pelo jornal.

De acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o estoque de urânio do Irã é agora 12 vezes maior do que o permitido pelo acordo nuclear.

Nesta quinta, um comunicado da TV estatal revelou que um “navio de guerra pesado, multiuso e de longo alcance, capaz de transportar todos os tipos de aeronaves, drones, mísseis e sistemas de radar” foi adicionado à frota da Guarda Revolucionária. “O navio de guerra Shahid Rudaki é uma cidade naval móvel capaz de realizar missões oceânicas”, acrescentou a TV estatal.

O comandante da Marinha da Guarda, Ali Reza Tangsiri, disse ainda que o Shahid Rudak forneceria segurança para linhas de transporte marítimo, petroleiros, frotas comerciais e pesqueiras em alto mar.

EUA: Vitória de Biden na eleição dos EUA pode levar a 'confronto' entre Israel e Irã, diz ministro israelense

Um comunicado publicado no site oficial da Guarda Revolucionária, Sepah também citou o comandante supremo da força de elite, o major-general Hossein Salami, dizendo que o navio de guerra de 150 metros “cria horizontes mais amplos para que nossa marinha se mova pelos mares”. A Quinta Frota da Marinha dos EUA, baseada no Bahrein, se recusou a comentar o anúncio.

— O Irã não se limita a uma área geográfica específica para defender seus interesses vitais — disse Salami, no site. — O Golfo é uma região estratégica para a economia mundial e o Irã desempenhou seu papel único e privilegiado ao garantir a segurança dessa extensão marítima. Se alguém quiser ameaçar os interesses desta grande nação, certamente não estará seguro em nenhum lugar da Terra.