Guardas humilhados por desembargador são homenageados pela Prefeitura de Santos

·2 minuto de leitura
Cícero Hilário e Roberto Guilhermino são homenageados pela Prefeitura de Santos - Foto: Susan Horta/Prefeitura de Santos
Cícero Hilário e Roberto Guilhermino são homenageados pela Prefeitura de Santos - Foto: Susan Horta/Prefeitura de Santos

Cícero Hilário e Roberto Guilhermino, guardas municipais humilhados pelo desembargador Eduardo Siqueira, episódio que ganhou destaque nacional no último final de semana, foram homenageados pelo Prefeitura de Santos, no litoral paulista. A dupla recebeu medalhas pela conduta exemplar adotada no caso.

A iniciativa, de acordo com a prefeitura da cidade, tem como objetivo reconhecer os serviços prestados durante a abordagem de fiscalização sanitária, cujo intuito é fazer cumprir as medidas necessárias para frear o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Leia também

A cerimônia contou com a presença da família dos guardas. Hilário relatou que sua filha de 15 anos chorou ao ver o vídeo no qual o desembargador ofende os agentes. Ele afirmou que se sentiu “humilhado” e que não sabia explicar a eles o que aconteceu.

Hilário dedicou a homenagem a todos os membros da corporação da Guarda Municipal e para todas as guardas do Brasil.

Guilhermino, que atua há 18 anos na corporação, ressaltou que a calma demonstrada pela dupla ao ser ofendida é um “comportamento adquirido com a experiência”.

"Foi um momento delicado, uma abordagem que a gente se deparou com um cidadão com bastante hostilidade, mas mantivemos a calma", ressaltou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Relembre o caso

A Guarda Civil Municipal de Santos, no litoral de São Paulo, abordou um homem andando sem máscara, porém ele se apresentou como desembargador, recusou usar o equipamento de proteção e humilhou o agente público.

Identificado como “desembargador Eduardo Siqueira”, o homem foi flagrado confrontando o guarda. O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra o agente pedindo “por favor” para o pedestre colocar a máscara, porém ele responde que o decreto, assinado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) com multa de R$ 100 a quem descumprir a regra, “não é lei”.

O corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Humberto Martins, determinou a instauração de um "pedido de providências" para apurar a conduta do desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos