Guardiola “ataca” presidente do Barcelona e jura lealdade ao City

Pep Guardiola falou pela primeira vez sobre a punição imposta ao Manchester City pela UEFA, que decretou que a equipe ficará as próximas duas temporadas sem disputar competições europeias devido ao não cumprimento do Fair Play Financeiro. 

Em entrevista ao Sky Sports após a vitória sobre o West Ham pela Premier League, o técnico espanhol garantiu que permanecerá no clube para a próxima temporada.

"Se eles não me demitirem, e isso pode acontecer, eu ficarei aqui, 100%, mais do que nunca. Primeiro, pois eu quero ficar, é algo especial. Mais do que o contrato que tenho agora (até junho de 2021). Eu disse antes, eu digo agora. Quero ficar, quero ajudar o clube, se possível, a manter esse nível o máximo possível", afirmou Guardiola, mesmo considerando a possibilidade de um rebaixamento do time azul.

"Por que eu deveria sair? Quando eu disse um mês atrás que amo esse clube, gosto de estar aqui, por que deveria sair? Sou otimista. Conversamos com os jogadores e, nos próximos três meses, focaremos apenas no que temos que fazer. No fim, veremos qual será a sentença. Mas, pessoalmente, não importa o que aconteça, eu estarei aqui na próxima temporada", completou.

Pep Guardiola

(Foto: Getty Images)

O espanhol explicou também que acredita que os Citizens conseguirão reverter a punição. 

"Não está acabado. O clube acredita que é injusto, por isso vamos recorrer e esperar. Tudo o que podemos fazer como as pessoas que estão em campo é continuar fazendo o que fizemos nos últimos quatro anos e focar nisso até o fim da temporada. Eu confio no meu clube completamente 100%, eles me explicaram a razão pela qual isso aconteceu e agora vamos recorrer e ver", disse.

Por fim, Guardiola aproveitou ainda para mandar um recado ao presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, que agradeceu a UEFA pela medida.

"Se o Barcelona estiver feliz porque estamos suspensos, eu diria ao presidente que deixe apelarmos. Acreditamos que estamos certos, vamos recorrer, mas meu conselho para o Barcelona é para não falar alto demais, pois todo mundo está envolvido às vezes em algumas situações. Nós vamos recorrer e espero no futuro poder jogar na Champions League contra o Barcelona", concluiu.