Guedes confirma saída de secretários, mas nega demissão: 'É um remanejamento da equipe'

Manoel Ventura
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou as mudanças no seu ministério, nesta terça-feira. Ele disse que as trocas na pasta não se tratam de demissão e ocorreu um "remanejamento da equipe".

— Isso não é uma demissão. Não tem um ministro demitindo alguém competente, leal — disse Guedes, após confirmar a troca de diversos assessores.

Guedes decidiu retirar Waldery Rodrigues Júnior do cargo de secretário especial da Fazenda, após a crise causada pela sanção do Orçamento de 2021.

Além de Rodrigues, o secretário de Orçamento Federal, George Soares, também deve deixar o governo, de acordo com fontes próximas ao ministro. Também haverá mudanças na área de comércio exterior e no Programa de Parceirias de Investimentos (PPI) .

Para o lugar de Waldery, o escolhido foi o atual secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal. O assessor especial de Guedes Jefferson Bittencourt irá assumir o Tesouro.

— O que está acontecendo é um remanejamento da equipe — acrescentou.

Guedes convidou o ex-secretário executivo do Ministério da Fazenda Ariosto Culau para assumir o posto de secretário do Orçamento. Culau já foi secretário de Orçamento e ocupou outros cargos voltados para essa área. Ele foi secretário executivo do Ministério da Fazenda no governo Temer.