Guedes diz que auxílio emergencial terá mais 'duas ou três' parcelas

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA – O auxílio emergencial deve ter “mais duas ou três” parcelas, de acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Essa extensão cobriria o tempo necessário para o avanço da vacinação na população adulta.

— Possivelmente vamos estender o auxílio emergencial por mais dois ou três meses, porque a pandemia está aí. Os governadores estão dizendo que em dois ou três meses a população brasileira adulta vai estar toda vacinada. Então, nós vamos renovar por dois ou três meses o auxílio – afirmou o ministro durante encerramento de uma reunião da Frente Parlamentar de Serviços.

Reforma: Governo economizaria R$ 31 bi com inclusão de militares e Judiciário na reforma de servidores

Ainda segundo Guedes, após a extensão, o benefício seria substituído pela nova versão do programa Bolsa Família.

— Logo depois (da extensão) entra, então, o Bolsa Família, o novo Bolsa, já reforçado. Eu diria que o Brasil está encontrando seu caminho – declarou.

Como o GLOBO adiantou, a prorrogação de duas a três parcelas do auxílio emergencial já estava sob análise do governo, e depende da evolução da pandemia da Covid-19.

A extensão do benefício faz parte do plano do Executivo para evitar que a população mais vulnerável fique descoberta enquanto a reformulação do Bolsa Família não sai do papel.

Já o novo Bolsa, em 2021, teria apenas um reajuste do tíquete médio do benefício, que passaria dos atuais R$ 190 para R$ 250. A reformulação completa do programa deve ser discutida esse ano, mas só entraria em vigor em 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos