Guedes diz que “barulho político” causa alta do dólar e culpa STF pela crise

·2 minuto de leitura
Ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto
Ministro da Economia, Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que “barulho político” causa alta do dólar

  • Para ele, a culpa pela crise institucional entre os Poderes é do STF

  • "Toda hora tem um que pula fora da cerca, dá um passeio no lado selvagem", afirma o ministro da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na terça-feira (14) que o dólar deveria estar descendo, mas isso não ocorre porque o “barulho político” não deixa.

“Estamos indo para meio trilhão de dólares de corrente de comércio com o mundo, nunca aconteceu antes, US$ 100 bilhões na balança comercial, nunca aconteceu antes. Então, esse dólar já era para estar descendo mesmo, mas o barulho político não deixa descer””, disse.

Leia também:

Em evento do BTG Pactual, o ministro da Economia afirmou que a democracia brasileira é resiliente e sofisticada. Segundo ele, as instituições são robustas o suficiente para corrigirem excessos.

“Os atores cometem excessos, às vezes o presidente sai do cercado, às vezes um ministro do STF prende pessoas, toda hora tem um que pula fora da cerca, dá um passeio no lado selvagem. O que acontece? As instituições se aperfeiçoam e convidam o cidadão a voltar para o cercadinho. São robustas as instituições”, afirmou.

Por outro lado, Guedes deu a entender que a responsabilidade pela crise institucional entre Poderes é de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) .

“Todo dia chamam o presidente de genocida. Ele mandou prender alguém? Não mandou prender ninguém, mas tem gente prendendo aí. A gente tem que ter uma certa moderação”, afirmou.

Para o ministro da Economia, ele se tornou uma “força moderadora” no governo.

“Eu era um cara agitado. Nunca pensei que, por falta de serenidade, eu fosse virar o sujeito moderado. Eu sou hoje uma força moderadora, estou impressionadíssimo, acho que estou muito velho””, disse.

“”Pelo amor de Deus, faltam dez meses para uma eleição. Nós vamos inventar o que agora? O presidente tem apoio popular grande e não cruzou a linha, obedeceu todas as instruções””, acrescentou o ministro.

Nos últimos meses, o dólar passou de R$ 4,90 para R$ 5,30. Segundo Guedes, o câmbio de equilíbrio no país deveria ser entre R$ 3,80 e R$ 4,20.

“Não tem problema. Mais tempo para as exportações, para nossa substituição de importações ir funcionando. Não tem problema, não temos pressa, o negócio é fazer a coisa certa”, afirmou.

“O câmbio de equilíbrio devia ser hoje uns R$ 4,00, R$ 3,80 se estivesse tudo normal”, disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos