Guedes: governo vai enviar sugestões sobre reforma tributária à comissão especial

Marcello Corrêa, Manoel Ventura e Renata Vieira

BRASÍLIA — O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quarta-feira que o governo não enviará uma proposta formal de reforma tributária ao Congresso. Em vez disso, o plano é encaminhar sugestões à comissão de deputados e senadores que será formada nesta semana.

Segundo Guedes, houve um “anticlimax” do que poderia ser um conflito entre as reformas. Hoje, duas propostas tramitam no Legislativo, uma pela Câmara, outra pelo Senado.

— Está tendo um anticlimax da batalha. A Câmara tem a reforma dela, que é a do Baleia Rossi, tem a do Senado, que é a do Hauly, Nada disso (não haverá batalha). Já temos nossa proposta pronta, nós vamos mandar o conteúdo e isso vai ter o processamento político com a nossa equipe e as duas estruturas que já estão lá dentro. Do ponto de vista inclusive de tramitação gira muito mais rápido — disse o ministro.

Ele acrescentou que seria “tolice” enviar uma terceira proposta de emenda à Constituição (PEC), que poderia tumultuar. O governo planeja enviar propostas de forma fatiada ao Congresso, começando pela unificação do PIS e da Cofins.

— Não é uma PEC. É tolice jogar uma terceira PEC para tumultuar o jogo. Temos o nosso conteúdo, estava pronto para ser disparado, e aí tem o processamento político disso — destacou Guedes.

Mais cedo, o ministro se reuniu com os presidentes da Câmara e do Senado para acertar os detalhes da comissão especial que analisará as propostas de reforma tributária. O grupo de trabalho deve ser instalado nesta quinta-feira e terá 90 dias para apresentar o resultado do trabalho.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)