Guedes: novo Bolsa Família será bancado pelos super-ricos

·1 minuto de leitura
Brazil's Economy Minister Paulo Guedes attends a seminar on the resumption of the Brazilian economy, in Brasilia, Brazil, December 8, 2020. REUTERS/Ueslei Marcelino
Dos R$ 100 bilhões de aumento da arrecadação, R$ 50 bilhões devem ter como destino o Bolsa Família, segundo Guedes (Ueslei Marcelino/Reuters)
  • R$ 50 bilhões vindos de super-ricos vão ajudar a fortalecer o Bolsa Família

  • Segundo Guedes, esse dinheiro vem da reforma tributária

  • Benefício hoje é de R$ 190 e a previsão é que ele vá para R$ 280

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo federal vai taxar os super-ricos a fim de “financiar a redução de imposto aos assalariados e fortalecer o Bolsa Família”. De todos os R$ 100 bilhões de aumento da arrecadação provenientes da reforma tributária calculados por Guedes, R$ 50 bilhões devem ter como destino o programa social. 

Leia também:

Hoje, os beneficiários do Bolsa Família recebem R$ 190 por mês e, com a chegada desse valor, a previsão é de que sejam pagos R$ 280 a partir de novembro. 

País carimbador

O respeito ao teto de gastos e à lei de responsabilidade também foi uma preocupação externada por Guedes. Para ele, apesar de dinheiro não ter carimbo, "o Brasil é um país carimbador de recursos" e, por isso existe a necessidade de "pegar os dividendos e dizer que é para sempre”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos