Guerra chega ao 59º dia com ataque ao leste da Ucrânia e evacuação de Mariupol

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A guerra entre a Ucrânia e a Rússia chegou ao 59º dia marcada por bombardeios no leste e no sul ucraniano, além de uma nova ordem de evacuação em Mariupol. Após quase dois meses de conflito, o presidente ucraniano Volodimir Zelenski alertou que o país é apenas a primeira etapa da expansão da Rússia para o Leste Europeu.

O chefe da administração regional militar de Luhansk, Serhiy Hayday, acusou as forças russas de bombardear casas de civis em Popasna e matar duas pessoas.

"Além das brigas nas ruas, o exército russo está constantemente bombardeando arranha-céus e casas particulares", disse ele para a CNN internacional.

Hayday acrescentou que moradores resistiram a cinco ataques russos, mas que nem todos sobreviveram.

"À noite, [um] morador de Popasna, de 66 anos, morreu e sua esposa ficou ferida. Além disso, mais uma pessoa morreu como resultado do bombardeio", acrescentou Hayday.

As autoridades locais informaram que cerca de 30 pessoas foram evacuadas da cidade vizinha de Severodonetsk, incluindo 15 pacientes acamados.

Os assentamentos em Luhansk estão sob o alvo da Rússia em meio a um amplo esforço militar para tomar e manter mais território na região leste de Donbas.

BOMBARDEIOS NO SUL

A cidade de Mykilaiv, localizada no sul da Ucrânia, foi alvo de ataques durante a noite, segundo Vitaliy Kim, chefe da administração militar de Mykolaiv. Para preservar a vida dos civis, um toque de recolher foi anunciado antes da Páscoa — comemorada na Ucrânia seguindo o calendário da Igreja Ortodoxa.

Os civis foram informados que ataques da Rússia podem ocorrer durante o feriado e pediram aos cidadãos de algumas regiões que permaneçam o feriado em casa.

A região entre Mykolaiv e Kherson, a sudeste, passou por intensos combates nas últimas três semanas, quando as forças ucranianas lançaram contra-ataques.

EVACUAÇÃO

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, anunciou neste sábado que um corredor de evacuação será montado na cidade de Mariupol após a paralisação do anterior, devido a incerteza sobre os ataques russos nas imediações.

De acordo com Vereshchuk, o plano de evacuação tem como foco a retirada de mulhres, crianças e idosos da cidade.

Se tudo correr como o planejado, as evacuações terão início ao meio-dia no horário local, segundo informações passadas por Vereshchuk em um comunicado no Telegram oficial do governo ucraniano.

A vice-primeira-ministra fez um alerta aos civis para que estejam atentos e "não sigam nenhum engano ou provocações" dos militares russos, que podem abrir um "corredor paralelo" e levar moradores a territórios controlados pela Rússia.

"Nossos corredores ocorrerão apenas no seguinte itinerário em direção a Zaporizhzhia: Manhush, Berdiansk, Tokmak, Orihiv", disse Vereshchuk.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos