Guerra da Ucrânia: Wikipedia recorre de decisão de tribunal russo sobre exclusão de informações do conflito da plataforma

A fundação proprietária do Wikipedia, enciclopédia online mais acessada no mundo, anunciou que entrou com um recurso contra a decisão de um tribunal de Moscou após receber uma multa de cinco milhões de rublos (R$ 450 mil) por se recusar a remover informações relacionadas à invasão da Ucrânia pela Rússia. No apelo, a Wikimedia Foundation argumenta que as pessoas têm direito a informações verdadeiras sobre o conflito.

Guerra na Ucrânia: casamento duplo é realizado entre soldados

Governo: Ucrânia perdeu 25% de terras cultiváveis por causa da guerra

Polícia: degradação dificulta identificação de 1.200 corpos

Já o tribunal de Moscou argumentou que a multa se refere ao que classifica como “desinformação” em artigos em russo que tratam da guerra, que Moscou reconhece apenas como uma “operação militar especial”. Os artigos da Wikipedia considerados questionáveis pelo tribunal seriam os que tratam dos crimes de guerra cometidos por forças russas na cidade ucraniana de Bucha.

A plataforma é um alvo recorrente da repressão aos meios de comunicação em relação à cobertura da guerra. Na decisão desta segunda, o tribunal de primeira instância disse que as informações publicadas na Wikipedia “representam um risco de desordem pública em massa na Rússia”.

Guerra na Ucrânia: Mariupol corre risco de surto de cólera, alerta Reino Unido

O Roskomnadzor, órgão regulador de comunicações da Rússia, abriu um processo contra a Wikipédia, acusando o site de gerar e editar informações proibidas.

Em comunicado, a Wikimedia Foundation informou que “as informações em questão [sobre a guerra na Ucrânia] são baseadas em fatos e verificadas por voluntários que continuamente editam e melhoram artigos no site” e que “sua remoção, portanto, constituiria uma violação dos direitos das pessoas à liberdade de expressão e acesso ao conhecimento”.

Guerra na Ucrânia: Britânicos presos por forças pró-Rússia são condenados à morte

Stephen LaPorte, conselheiro geral associado da fundação, acrescentou que a plataforma “está direcionando informações vitais para a vida das pessoas em tempos de crise”. O recurso foi apresentado no último dia 6, mas os detalhes foram divulgados apenas nesta segunda-feira.

“A Wikipedia em russo é um segundo rascunho crucial da história, escrito por e para falantes de russo em todo o mundo que oferecem seu tempo para disponibilizar informações confiáveis e verificadas a todos. Bloquear o acesso à Wikipédia na Rússia negaria a mais de 145 milhões de pessoas o acesso a esse recurso de informação vital”, informou a plataforma em comunicado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos