Guerra na Ucrânia: Cerca de 15 mil milionários devem deixar a Rússia, diz Reino Unido

Cerca de 15 mil milionários russos devem deixar o próprio país nos próximos meses, disse o ministério da Defesa do Reino Unido.

Oligarcas: Para não perder iates, bilionários russos ficam de fora de festas no 'esquenta' do verão europeu

Reajuste: Petrobras ignora Bolsonaro e anuncia alta de combustíveis hoje. Entenda por que estatal resiste à pressão

A continuidade do conflito com a Ucrânia e a imposição de sanções tem provocado um êxodo entre os ricos do país:

— Pedidos de imigração sugerem que 15 mil milionários russos já estão tentando deixar o país — disse o ministério, em nota:— O ceticismo em relação à guerra é, muito provavelmente, forte nas elites russas e oligarcas. Se este êxodo continuar, os danos a longo prazo na economia da Rússia vão piorar.

Nesta sexta-feira, o presidente francês, Emannuel Macron, visitou Kiev em companhia do chanceler alemão, Olaf Scholz, e do primeiro-ministro italiano, Mario Draghi. O trio de líderes europeus defendeu a entrada da Ucrânia na União Europeia.

Nesta sexta-feira, o presidente francês, Emannuel Macron, visitou Kiev em companhia do chanceler alemão, Olaf Scholz, e do primeiro-ministro italiano, Mario Draghi. O trio de líderes europeus defendeu a entrada da Ucrânia na União Europeia.

A entrada da Ucrânia no bloco foi um dos temas principais da conversa do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, com os líderes europeus, já que a UE deve decidir ainda nesta semana se concederá ao país o status de candidato oficial ao ingresso. Durante a visita, Scholz confirmou que o presidente ucraniano aceitou participar da próxima cúpula do G7, no final de junho, na Baviera.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos