Guerra na Ucrânia cria ruptura fundamental nos mercados, afirma relatório

Quais serão as consequências da pandemia e da guerra na Ucrânia nos mercados de commodities? A ofensiva russa marca o fim de uma globalização bem-sucedida, de acordo com os autores da revista CyclOpe, a “bíblia francesa” dos mercados mundiais.

Por Marie-Pierre Olphand, da RFI

Houve um mundo de ontem e haverá o de depois. Um mundo que será marcado por uma ruptura fundamental na geopolítica global, avaliam os autores da 36ª edição do relatório do grupo de estudos CyclOpe. "É um pouco como se o sonho da globalização dos últimos 30 anos estivesse desaparecendo", resume Philippe Chalmin, professor da Universidade Paris Dauphine e codiretor do estudo divulgado na última terça-feira (7).

Se a maioria das tensões que assistimos atualmente remonta a 2021, a guerra na Ucrânia acrescentou um nível de complexidade: ampliou a instabilidade agrícola, desencadeou uma crise do petróleo, além de uma crise do gás, e ampliou ainda mais a desestabilidade logística, descrevem os 65 autores da pesquisa.

Nos mercados de commodities, basta o intervalo de dois dias, 7 e 8 de março deste ano, para ilustrar o pânico global e a volatilidade dos preços que caracterizam o período: nessas 48 horas, o barril de Brent chegou perto de US$ 140, o trigo ultrapassou os € 400 por tonelada, o gás natural na Europa foi a mais de € 300 por MWh, e o níquel teve uma oscilação completamente fora de controle, sendo cotado a mais de US$ 100 mil por tonelada.

O risco de desabastecimento no “mundo de amanhã”


Leia mais

Leia também:
"Bloqueio de portos ucranianos pela Rússia poderá matar milhões de pessoas", diz chanceler italiano
América Latina pode ser alternativa a desabastecimento em meio à crise na Europa e China, diz BID
Julgamento inédito contra varejista Casino por desmatamento no Brasil avança na França

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos