Guerra na Ucrânia estimula EUA a intensificar investigação contra Kaspersky

Guerra na Ucrânia estimula EUA a intensificar investigação contra Kaspersky

Por Alexandra Alper

WASHINGTON (Reuters) - O governo dos Estados Unidos intensificou uma investigação de segurança nacional sobre a produtora russa de software antivírus Kaspersky, em meio a crescentes temores de ataques digitais depois que a Rússia invadiu a Ucrânia, disseram três pessoas familiarizadas com o assunto à Reuters.

O caso foi encaminhado ao Departamento de Comércio pelo Departamento de Justiça no ano passado, disse uma quarta pessoa, mas o órgão fez pouco progresso até que a Casa Branca e outros funcionários do governo norte-americano pedirem que eles avançassem em março, acrescentaram as três pessoas.

O caso aponta o risco de que o Kremlin possa usar o software antivírus, que tem acesso privilegiado aos sistemas de um computador, para roubar informações confidenciais de norte-americanos ou adulterá-los à medida que as tensões aumentam entre Moscou e o Ocidente.

Os reguladores dos Estados Unidos já proibiram o uso dos softwares Kaspersky pelo governo federal e podem, em última análise, forçar a empresa a tomar medidas para reduzir os riscos representados por seus produtos ou proibir os norte-americanos de usá-los.

As autoridades são "realmente a única ferramenta que temos para lidar com a ameaça (representada pela Kaspersky) em uma base comercial em toda a economia, dado nosso mercado aberto", disse Emily Kilcrease, ex-vice-assistente do representante comercial dos Estados Unidos.

Outros poderes regulatórios não permitem que o governo bloqueie o uso de software pelo setor privado feito pela empresa com sede em Moscou, há muito vista pelas autoridades norte-americanas como uma séria ameaça à segurança nacional do país.

Os departamentos de Comércio e Justiça e a Kaspersky se recusaram a comentar. A empresa há anos nega irregularidades ou qualquer parceria secreta com a inteligência russa.

A investigação intensificada está sendo executada usando amplos novos poderes criados durante o governo Trump, que permitem que o Departamento de Comércio proíba ou restrinja transações entre companhias de norte-americanas e empresas de internet, telecomunicações e tecnologia de nações "adversárias estrangeiras", incluindo Rússia e China.

Contra a Kaspersky, o Departamento do Comércio pode usar instrumentos que incluem a proibição do uso de softwares da empresa ou impedir o download de atualizações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos