Guia simples para usar um biquíni sem vergonha do corpo, por Alexandra Gurgel

Raphaela Ramos

“Não tenho que ter um bom senso, tenho que ter um biquíni”, defende a jornalista e ativista Alexandra Gurgel. Usar essa peça de roupa pode parecer uma simples ação cotidiana, mas a pressão estética por um corpo padrão faz com que muitas mulheres se sintam insatisfeitas e precisem de coragem extra. Para as pessoas gordas, a pressão é ainda maior já que também é necessário enfrentar a gordofobia. “É um processo de amor próprio”, define a criadora do canal do Youtube “Alexandrismos”, que criou um “guia simples para usar um biquíni sem ter vergonha do corpo”.

— Ouvia as pessoas dizerem que eu era corajosa por postar foto de biquíni nas redes sociais, e me questionava “corajosa por postar uma foto?” — relembra. — Mas percebi que tem que ter coragem sim, porque a gente sabe que o ódio sempre vai existir. Precisamos de força para ter autoestima — diz.

Divulgado no Twitter em uma sequência de posts, o manual fez sucesso entre os usuários e criou um debate sobre a necessidade desse tipo de incentivo.

— Muita gente falou que é um absurdo precisar de um guia para isso, o que é verdade. Mas, às vezes, ir à praia pode ser uma superação para uma pessoa. Qquando conseguem pela primeira vez, muitas pessoas me mandam vídeos emocionados, o que comprova que isso é real. — conta a youtuber, destacando que ninguém tem a obrigação de ser como ela ou outros ativistas. — É um processo difícil para todos.

Guia simples para usar um biquíni sem vergonha do corpo

Alexandra listou o passo a passo para quem quer aproveitar a praia sem se preocupar. Confira!

1 - Compre um biquíni

Para usar um biquíni, o primeiro passo é comprar um. Dê preferência para modelos confortáveis. Essa primeira etapa já pode ser uma barreira, pela baixa variedade de marcas com tamanhos plus size e pela vergonha que muitos sentem em experimentar na loja. Uma boa solução é comprar em sites: “Se você medir o corpo certinho pode comprar sem problemas” indica.

2 - Comece a usar o biquíni em casa

Se olhe no espelho, veja como se sente, tire fotos… O segundo passo é esse, se acostumar com o biquíni sozinha. “Você tem que testar, se não fizer isso sozinha não vai fazer com mais ninguém”, diz a ativista.

3 - Siga pessoas reais

Usar as redes sociais para seguir pessoas que têm o corpo parecido com o seu e usam biquíni pode ajudar nesse processo. “É uma questão de mudar o seu olhar, ver outros corpos”, explica.

4 - Pare de seguir quem te faz mal

Por outro lado, pare de seguir pessoas que propagam um ideal de beleza inalcançável. “É difícil você se sentir bem vendo o tempo todo pessoas com corpos totalmentes diferentes do seu”, alerta Alexandra. Você também pode apenas silenciar essas pessoas, se não quiser parar de segui-las.

5 - Comece a usar o biquíni

Nesse primeiro momento, é mais fácil começar a usá-lo na presença de pessoas em quem confia e com quem se sente bem. É importante ter uma rede de apoio.

6 - Se não estiver à vontade, use maiô ou roupa

Comece a se permitir estar nesses ambientes. É importante lembrar que você também pode usar um maiô, um short, uma roupa curta… “Só de você ir para um lugar de praia, quebrar essa barreira, já é um passo muito importante”, ela ressalta.

7 - Experimente usar o biquíni em lugares públicos

A dica para esse momento é começar a sair de biquíni na época de baixa temporada, em lugares mais vazios. Dessa forma, você vai treinando aos poucos. “É literalmente uma ressocialização”, resume.

8 - Comece a normalizar o uso de biquíni

Chegou a hora de se acostumar com o uso do biquíni. Frequente lugares para usá-lo, e mantenha sempre sua rede de apoio por perto.

9 - Viva seu #CorpoLivre

Beba água, não passe calor, aproveite o sol, use protetor solar… Curta seu corpo! “A pressão estética e a gordofobia vão continuar existindo, o que muda é a gente”, ela completa.