Justiça determina que WhatsApp bloqueie vídeo de Russomanno contra Boulos

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA
Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA

A justiça eleitoral determinou que o Whatsapp bloqueie o compartilhamento de um vídeo utilizado pela campanha de Celso Russomanno (Republicanos) com ataques ao adversário Guilherme Boulos (PSOL). Os dois estão envolvidos na briga por uma vaga no segundo turno da corrida à Prefeitura de São Paulo. As informações são do UOL.

Emitida nesse domingo (15), a decisão do juiz eleitoral Emílio Migliano Neto acatou o pedido da defesa de Boulos, que acusa Russomanno de propagar fake news. A defesa do deputado federal, candidato apoiado por Jair Bolsonaro (sem partido) em SP, nega as acusações.

Mais sobre Eleições 2020:

O vídeo, que foi compartilhado pelas redes sociais de Russomanno, utiliza trecho de outros vídeos produzidos pelo blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio. Quanto ao conteúdo, há uma acusação de que Boulos teria utilizado empresas fantasmas para lavar dinheiro em sua campanha.

Em um dos últimos debates antes do pleito, Russomanno mencionou o vídeo, que acabou retirado do ar após a solicitação da Justiça Eleitoral.

Outra decisão da Justiça Eleitoral pediu também que o youtube suspenda a conta de Eustáquio. Ele é um dos principais acusados no inquérito das fake news que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal).

A justificativa da defesa de Boulos consiste no fato de que o vídeo tenha “viralizado” através do Whatsapp nos últimos dias, por isso sua disseminação deveria ser interrompida.

A defesa de Boulos cita na ação que o vídeo tem sido tem sido compartilhado "massivamente" pelo WhatsApp nos últimos dias antes da eleição. Por isso, sua disseminação deveria ser interrompida.

"[O vídeo] é integralmente dedicado à propagação de mentiras sobre o representante [Boulos] (...), e foi publicado estrategicamente, justamente no momento em que Guilherme Boulos participava de debate eleitoral pela Folha/UOL e, simultaneamente, no instante em que o também candidato à Prefeitura, Celso Russomanno, mencionou o fato, que não foi noticiado por nenhum veículo de mídia profissional", sustenta a defesa de Boulos.

Questionada pelo UOL, a defesa de Russomanno afirma ainda não ter sido notificada da decisão e nega ter realizado compartilhamento massivo da peça via aplicativo de mensagens.