Guilherme Boulos rebate fala de assessor de Bolsonaro sobre seu pai

Brazilian presidential candidates Guilherme Boulos (PSOL) takes part in the presidential debate ahead of the October 7 general election at Record television network, in Sao Paulo Brazil on September 30 2018. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Candidato à Presidência em 2018, Guilherme Boulos (PSOL) rebateu a fala de Arthur Weintraub, assessor especial do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a respeito de seu pai, o infectologista Marcos Boulos, integrante do comitê de contingenciamento do novo coronavírus em São Paulo.

“Marcos Boulos (sim, papi do Boulos), médico que está na Superintendência de Controle de Endemias de São Paulo. Trabalha pro governo Doria, inclusive no comitê de crise do coronavírus. Ele acha que a cloroquina e hidroxicloroquina são ineficazes. Alguém esperava algo diferente?”, criticou Weintraub.

Boulos rebateu a provocação do assessor de Bolsonaro, que é irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Leia também

“Um tal Weintraub, irmão do ministro da ‘educassão’, atacou meu pai por ele não defefender (sic) o uso indiscriminado de cloroquina. Bolsonaro compartilhou. Meu pai é infectologista e usa cloroquina há 30 anos para tratar malária. Mas é melhor acreditar em discípulo do Olavo de Carvalho”, retrucou.

Weintraub insistiu: “O Boulos burguês não gostou que mostrei a forte ligação do papi dele com o Doria. Nunca vi o Doria chegar perto de pobre. Papi médico famoso é riquinho? Quanto é o salário dele no governo Doria? Topa mostrar? Ele tem imóveis caros? Alguém já tentou invadir?”.