Guilherme de Pádua se tornou pastor de igreja evangélica em BH em 2017

Guilherme de Pádua se tornou pastor da igreja evangélica em 2017, após 15 anos de conversão. A cerimônia aconteceu em Belo Horizonte, onde ele morava com a mulher, a maquiadora Juliana Lacerda.

Uma semana antes, Guilherme e Juliana se formaram em Teologia com direito a colação de grau, beca e festa (veja fotos abaixo).

O ex-ator usava da experiência que teve no presídio para falar sobre vida cristã após o mundo do crime. Ele também cuidava de ex-presidiários, fazendo trabalho de evangelização.

Guilherme de Pádua morreu de infarto, aos 53 anos. A notícia da morte foi divulgada no domingo pelo pastor Marcio Valadão. O líder da Igreja Batista da Lagoinha deu detalhes da última visita do amigo à igreja.

Na época, Juliana postou emocionada sobre a nova profissão do ex-ator. “Enfim, agora Pastor Guilherme! Ele esperou mais que 15 anos para que esse dia chegasse, mas como nós dizemos, tudo no tempo do Senhor. Chegou o seu tempo meu amor”.

Guilherme de Pádua e a então mulher, Paula Tomaz, assassinaram a atriz Daniela Perez a tesouradas em 28 de dezembro de 1992. Eles foram condenados, cinco anos depois do crime, por homicídio qualificado, a 19 anos e seis meses de cadeia. Posteriormente, a pena foi reduzida a seis anos.

Canal no YouTube

Condenado pelo assassinato da atriz Daniela Perez, filha da autora Gloria Perez, Guilherme de Pádua criou em 2019 um canal no Youtube para fazer pregações. O ex-ator usava da experiência que teve no presídio para falar sobre vida cristã após o mundo do crime.

No primeiro vídeo, ele falou das facções nas cadeias brasileiras. Em outro, com o título "Agora virou Santo, né? (Bandido que vira crente!)", Guilherme prega sobre o criminoso que se regenerou e virou cristão.

"Tem 26 anos que eu tenho contato com presídio. Sete anos preso, mais 19 participando de projetos. (...) Na igreja em que frequento,  conheço dezenas de pessoas que eram do crime mudarem de vida porque se tornaram crentes. De certa forma, a igreja é um ambiente muito propício para pessoas que têm a tendência de fazer coisas erradas. A cultura é: precisamos fazer o correto. Porque,  intimamente, dentro de cada um que começa a crer em Cristo, existe aquele sentimento que existe um Deus em mim, e que esse Deus me perdoa dos meus pecados, lança no mar de esquecimento e deles não se lembra mais.

Olha que coisa bem propícia para alguém que fez muita coisa errada: esse perdão, essa oportunidade de poder recomeçar. Quem não gostaria de falar: poxa, eu posso começar de novo, ter uma nova chance? E mais que isso: se eu me apagar a esse Deus, fizer uma aliança com Ele, Ele tem uma aliança comigo, e aguarda-me uma vida eterna", disse Guilherme no vídeo: "Não sou mais eu quem vivo, mas Cristo vive em mim".

 

guilherme4
guilherme4