Gustavo Petro precisará formar maioria em Congresso fragmentado para promover mudanças sociais

Com a promessa de mudanças profundas no cenário desigual da Colômbia, Gustavo Petro conseguiu no domingo (19) conquistar os votos de pouco mais da metade dos colombianos. Contudo, o primeiro presidente de esquerda do país não terá vida fácil. Diante de um Congresso fragmentado e com forte presença conservadora, ele precisará encontrar maioria para passar seus projetos de reforma tributária e transição ecológica.

Logo após a festa da vitória, Gustavo Petro já lida com uma grave preocupação: conseguir formar um grupo majoritário em um Congresso muito fragmentado, eleito em março. As forças políticas conservadoras, que sempre mandaram no país e estão fortemente representadas nas duas casas legislativas, certamente vão apresentar resistência, analisa o professor de relações internacionais da UnB (Universidade de Brasília), Roberto Goulart.

“Petro vai ter que negociar muito. A oposição fará de tudo para colocar entraves a suas propostas”, afirma Goulart. Com projetos ambiciosos, como uma reforma tributária que aumente os impostos da população rica e a intenção de suspender os contratos de exploração de petróleo, o novo governo de esquerda precisará costurar alianças amplas para tornar as promessas reais.

Um dos grandes desafios de Petro será o de combater a desigualdade e a pobreza no país em um momento em que os cofres do país foram esvaziados pela pandemia. Para isso, uma reforma tributária rápida será essencial.

A adoção de um imposto sobre grandes fortunas não é uma proposta apenas da esquerda colombiana. Goulart lembra que a Argentina e a Bolívia aprovaram impostos sobre grandes fortunas cobrados uma única vez. “O Reino Unido, com Boris Johnson, também vem discutindo uma reforma tributária que contribua para a situação fiscal do país.”


Leia mais

Leia também:
Ex-empregada doméstica e ativista premiada: quem é a 1ª vice-presidente negra da Colômbia
Eleição na Colômbia inaugura um novo período político e econômico com risco de tensão social
Esquerda consegue façanha histórica na Colômbia e novo presidente promete "política do amor"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos