Gustavo Poli: não alimentemos expectativas para os Fla-Flus de 2022. Pelo menos no futebol

·3 min de leitura

E então chegamos ao fim de 2021 também conhecido como 2020 turbo delta ômicron — essas variantes de Covid que não perdoam nem o Wolverine. Um de meus esportes favoritos de fim de ano é me fantasiar de agência de checagem e conferir as previsões que os visionários fizeram para o ano encerrado. Tipo: você se lembra do “profeta-olho-de-agamoto-visão-de-longo-alcance” que previu que o Palmeiras ganharia duas Libertadores no mesmo ano, né? Não? Como assim ninguém previu isso? Esse é o tipo de coisa que deveria gritar em astros e bolas de cristal...

Graças ao pai dos burros 2.0, o mecanismo de busca, pude obter algumas previsões que nossos visionários fizeram para 2021. A primeira profecia que veio foi de Robério de Ogum, o vidente boleiro, ouvido pelo diário “Lance” em junho:

“Esse técnico português não fica no Palmeiras, não fica”.

É... não cravou essa. O babalaô Alexandre (também de Ogum), ouvido pelo “Meia Hora”, vaticinou:

“As vibrações estão muito ruins para o Botafogo nesta temporada. Está muito atrás do Vasco e com chance de cair pra Terceira Divisão”.

Bingo. O jornal “Zero Hora” ouviu a taróloga Carmen Porto:

“O Grêmio viverá uma fase nova, de muita luz, visibilidade e grandes oportunidades”.

O “Lance” também ouviu a consultora holística Amanda Mescae:

“O Cruzeiro traz consigo uma energia de superação que faz com que a Série A volte a fazer parte da sua história”.

Mas peraí. tem a Lene Sensitiva, com 639 mil seguidores no Instagram, que disse que o Palmeiras iria ganhar do Flamengo na final da Libertadores 2021. Mas... não foi ela que disse, em janeiro, que ia dar Santos contra o mesmo Palmeiras na decisão da Libertadores 2020? Ops. Foi. Quem procura sempre encontra uma ou outra previsão certa ou quase certa. Mas se eu chutar cinco vezes e acertar uma na trave, isso não me transforma no Messi, certo? No distinto negócio da chutologia avançada, o visionário malandro é um cruzamento de adivinho de cabana com coach sem turbante. Importa valorizar os acertos, esquecer os erros e fazer propaganda. O apetite humano pelo porvir ignora a performance dos adivinhos e pede mais. Taí o horóscopo que não nos deixa mentir.

“O equilíbrio emocional de Áries se fortalece frente à harmonia Lua-Netuno no circuito de crise, associado a uma vivência íntima que atende seus desejos e leva à superação de desafios. À noite, a Lua entra no setor espiritual e quadra com Júpiter, alertando para a importância de não alimentar expectativas, hein?”.

O trecho acima é real. Foi publicado no site da revista “Capricho” anteontem. Fiquei imaginando o ariano Jair Bolsonaro andando de jet-ski (uma vivência íntima), pensando na tragédia baiana (superação de desafios) enquanto a lua entrava em seu setor espiritual (endereço insabido) e alertava para que ele não alimentasse expectativas (tchau hexa?). Obviamente, como esta é uma coluna esportiva, fui conferir a previsão para o virginiano Paulo Sousa. Ei-la:

“Lua em trânsito pela área comunicativa se harmoniza com Netuno (...) No entanto, desilusões podem aparecer na ausência de reciprocidade, uma vez que mais tarde a Lua já no setor familiar quadra com Júpiter. Evite criar expectativas”.

Evite criar expectativas, amigo astrólogo? Pera lá. Fui checar. O Abel Braga também é de virgem! Em suma, não alimentemos expectativas para os Fla-Flus de 2022. Pelo menos no futebol...

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos