Gusttavo Lima confessa que "relaxou" na pandemia: "Bebi muita cachaça"

·2 min de leitura
Cantor lembrou período longe dos palcos (Foto: Reprodução/YouTube/Instagram)
Cantor lembrou período longe dos palcos (Foto: Reprodução/YouTube/Instagram)

Gusttavo Lima está feliz com a retomada aos palcos, mas confessa que ainda está em fase de adaptação depois de tanto tempo parado. O cantor conta que sua rotina mudou muito quando esteve impedido de fazer shows na pandemia. Além de aumentar as doses de bebida, ele passou a dormir cedo e agora tem sentido a diferença de trocar o dia pela noite.

"Estou me preparando de novo, pegando o ritmo de novo. Na pandemia eu dormia 20h, acordava 5h30 todo dia. Agora vou dormir 5h30 e acordo 15h", diz ele, aos risos.

Quando tudo parou, Gusttavo achou que passaria rápido. Nos primeiros dias, o embaixador afirma que até encarou como férias. "No começo (da pandemia), eu dei uma boa relaxada. Bebi muita cachaça. Depois foi ficando mais tenso, mais tédio, não acabava nunca", confessa.

Com receio de não recuperar a forma para voltar a cantar quando tudo fosse liberado, Gusttavo diz que começou a fazer exercícios. "Resolvi jogar bola, futvôlei. Agora a gente está retomando, desmamando pra voltar com tudo para a estrada", afirma.

Além da preparação física, o cantor fala da importância de estar ligado nas leis e exigências de cada estado. Ele diz que na música não tem o que mexer, mas é preciso que sua equipe fique ligada para não cometer erros na organização de cada evento.

"O encontro com os fãs está sendo gradativo, estado por estado. Parece que a gente começou do zero de novo. Quando a gente tem uma carreira de muitos anos, cantando todo final de semana e do nada para de cantar, perde o condicionamento", explica.

Entre tantos problemas causados pela pandemia, Gusttavo consegue ver um lado positivo para o meio artístico: a explosão das lives. Responsável por uma das transmissões que mais bombaram no período, o cantor celebra o fato de muitos artistas terem sido revelados na internet.

"Deu uma suprida boa, contribuiu para o crescimento de muitos artistas regionais. A pandemia teve um lado bom que foi abrir novos horizontes na música. Outros estilos, como o piseiro, explodiram. Muitos artistas ficaram conhecidos", exalta.