Guterres: "planeta está preso numa colossal disfunção global"

Ensombrada pela guerra na Ucrânia, pela crise do custo de vida e pelo impacto persistente da pandemia de Covid-19, a 77.ª Assembleia Geral das Nações Unidas arrancou, esta terça-feira, em Nova Iorque.

António Guterres, o secretário-geral da ONU, deu as boas-vindas aos líderes mundiais e lembrou que a guerra na Ucrânia é “uma ameaça ao futuro da humanidade" alertando, ao mesmo tempo, que o planeta “está preso numa colossal disfunção global.”

"Não tenhamos ilusões. Estamos a navegar em águas turvas. Está a caminho um inverno de descontentamento global. Há uma crise de custo de vida, a confiança está em queda, as desigualdades estão a explodir e o nosso planeta está a arder. As pessoas estão em sofrimento com os mais vulneráveis a serem mais afetados. A Carta das Nações Unidas e os ideais que representa estão em risco. Temos o dever de agir e, no entanto, estamos presos numa colossal disfunção global", sublinhou Guterres.

O secretário-geral das Nações Unidas acrescentou: "estamos a ver a ameaça de divisões perigosas entre o Ocidente e o Sul. Os riscos para a paz e a segurança globais são imensos. Devemos continuar a trabalhar pela paz."

Por outro lado também alertou que é preciso “uma profunda reforma estrutural no sistema financeiro global e em instituições internacionais."

Líderes mundiais e encontros bilaterais

Do primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, ao presidente Francês, Emmanuel Macron, são muitos os rostos conhecidos que estarão por Nova Iorque nos próximos dias.

Há vários encontros bilaterais previstos, como o que Macron teve com o presidente do Irão, Ebrahim Raisi, numa altura em que a Europa lidera esforços diplomáticos para reavivar o acordo nuclear.