Há possibilidade de permuta de vacinas com os EUA, diz ministro da Saúde

Maria Carolina Marcello
·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, posa para foto ao lado do Zé Gotinha durante evento no Palácio do Planalto

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira que trabalha com o embaixador do Brasil nos Estados Unidos para viabilizar uma permuta de vacinas entre os dois países para a antecipação de envio de doses ao Brasil.

Queiroga relatou, em audiência pública de comissão do Senado que acompanha ações de enfrentamento à pandemia, um telefonema do embaixador do Brasil em Washington, Nestor Forster, para tratar da questão.

"Agora mesmo eu tive um telefonema com o embaixador Nelson Forster, embaixador do Brasil nos Estados Unidos, e há uma possibilidade de fazermos permuta com os Estados Unidos para ter uma antecipação de doses, seja do Covax Facility ou de outras formas de vacinação", afirmou Queiroga.

O presidente dos EUA, Joe Biden, tem sofrido pressão de países para compartilhar vacinas, especialmente seu estoque de vacinas da AstraZeneca, que são autorizadas para uso em diversos lugares, inclusive no Brasil, mas não nos Estados Unidos.

A vacina da AstraZeneca tem registro completo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que significa que poderia ser usada imediatamente no Brasil.