Há mais de uma semana sem luz, Amapá registra 5ª noite de protestos contra rodízio de energia

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
PM tentou desmobilizar ato que seguiu por mais de 8 horas  (Foto: Ângelo Fernandes/Arquivo Pessoal)
PM tentou desmobilizar ato que seguiu por mais de 8 horas (Foto: Ângelo Fernandes/Arquivo Pessoal)

Há mais de uma semana sem luz, o Amapá registrou a 5ª noite seguida de protestos contra o apagão de energia que chega ao nono dia nesta quarta-feira (11). Na noite de ontem (10), manifestantes se reuniram pedindo regularidade do fornecimento de eletricidade.

Segundo os manifestantes, o sistema de rodízio, ligado por apenas 6 horas por dia de maneira alternada, apresenta falhas no atendimento da população. O governo federal prevê que a distribuição volte a 100% até o fim de semana. No entanto, o prazo judicial obriga uma solução até quinta-feira (12).

O grupo, formado inclusive por crianças e idosos, queimou pneus e pedaços de madeira. Segundo a Polícia Militar (PM), houve dificuldades em conter os manifestantes. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também afoi acionada para controlar a situação no local.

Leia também

Segundo balanço da polícia, entre sexta-feira (6) e a madrugada de terça-feira (10), foram mais de 50 atos contra o problema. Um dos protestos desta terça-feira bloqueou por cerca de 8 horas a BR-210, na Zona Norte de Macapá. Centenas de moradores se reuniram em frente ao conjunto habitacional Macapaba, que tem 4 mil moradias populares.

Na sexta-feira (6), um menino de 13 anos, morador de Macapá, foi atingido nos olhos por um tiro de bala de borracha e corre o risco de perder a visão. Ele foi atingido durante uma manifestação contra o apagão no estado do Amapá.

O governo alega que o apagão se deu por conta de um incêndio que atingiu uma subestação de energia em Macapá na terça-feira (3).