Habitantes de Kherson não se conformam com a presença russa

Kherson, no sul da Ucrânia, foi uma das primeiras cidades conquistadas pelos russos no início da guerra.

Um grupo de jornalistas foi autorizado a visitar a localidade, escoltado pelo exército de Moscovo, e constatou que os habitantes têm dificuldade em habituar-se à presença russa.

Natacha Zarouchinaïa, habitante de Kherson, não escondeu a indignação que sente e revelou que deseja que a localidade volte a ser como antes, altura em que reinava a liberdade e o silêncio.

Vivo na minha terra e quero que Kherson permaneça livre.

Questionada sobre se tem medo, a resposta foi clara: "Não, não tenho medo. Se eles me matarem, mataram".

Em Kherson, ainda se vêem algumas bandeiras ucranianas, mas as russas estão já içadas nos edifícios oficiais.

Kiril Stremooussov, responsável da administração pró-russa de Kherson, reiterou o facto de serem uma "entidade" na região e disse que "regressarão" à Federação Russa como uma região completa.

Apesar de negarem inicialmente, os russos pretendem anexar Kherson, admitiu, no início do mês, um representante pró-russo, na localidade.

Outro dos habitantes da cidade reiterou depois o facto de quererem ter paz. Para além disso, recordou o desejo da cidade de Kherson de ser um Estado neutro, tal como a Suíça ou a Suécia.

Recorde-se que a invasão russa à Ucrânia começou há 3 meses e parece estar longe do fim.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos