Hacker pediu pagamento de resgate em invasão aos sistemas do governo do DF, afirma secretário

Aguirre Talento
·1 minuto de leitura

O hacker que realizou um ataque aos sistemas de informática do governo do Distrito Federal pediu o pagamento de um resgate em troca da devolução de possíveis dados roubados, mas técnicos de informática do governo do DF conseguiram desligar o sistema antes que o ataque tivesse sucesso, afirmou nesta sexta-feira o secretário de Economia, André Clemente, em entrevista coletiva.

— Efetivamente, eles chegaram a entrar no sistema e implantar um pedido de resgate, que seria deflagrado. Só não se efetivou por conta de uma ação rápida e planejada tanto da Economia como da Polícia Civil do DF — afirmou Clemente.

Segundo representantes do governo, peritos da Polícia Civil foram acionados na quinta-feira quando foi detectado o ataque. Técnicos do DF suspenderam o funcionamento do sistema por 24 horas para permitir que os dados fossem preservados e evitar o ataque, mas acabaram tendo que paralisar serviços essenciais na área de saúde e segurança. Esses serviços estão sendo restabelecidos nessa sexta-feira.

A Polícia Civil do DF está em contato com a Polícia Federal para, em conjunto, investigarem se é o mesmo grupo que realizou um ataque ao sistema do Superior Tribunal de Justiça (STJ) -este acabou sendo efetivado e, segundo investigadores, o hacker conseguiu acessar a base de dados do STJ e trancá-la com uma criptografia, impedindo que o tribunal acessasse seus próprios arquivos.

— Existem características semelhantes, mas acho que a gente precisa ter um pouco mais de calma para concluir se é a mesma pessoa — afirmou o delegado-chefe da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), Giancarlo Zuliani.

Questionados se já houve identificação do responsável pelo ataque, os representantes do governo do DF afirmaram que não poderiam dar detalhes sobre a investigação, que está em andamento.