Hackers russos podem estar por trás dos ataques à JBS nos EUA

·1 minuto de leitura
Unidades da JBS nos EUA sofreram ataques cibernéticos que prejudicaram a produção
Unidades da JBS nos EUA sofreram ataques cibernéticos que prejudicaram a produção

Um grupo de hackers que atende pelo nome de REvil ou Sodinokibi pode estar por trás do ataque cibernético sofrido pela JBS nos Estados Unidos e na Austrália.

Ainda não se sabe se a atuação do grupo se restringe à Rússia, mas a figura pública do grupo, chamado de “Unknown” e participante do fórum XSS de crimes cibernéticos da dark web, sempre publica em russo.

Leia também:

A JBS, controladora da JBS USA e da Pilgrim’s Pride informou que parte das suas processadoras de suínos, aves e alimentos preparados já havia voltado a operar e que o setor de carne bovina no Canadá havia retomado a produção.

Outros ataques nos EUA

Em 2019, o REvil promoveu um ataque cibernético a funcionários eleitorais do estado de Luisiana. No ano passado, foram autores de um ataque de ransomware contra um escritório de advocacia que trabalhava para Donald Trump.

Na noite de ontem, o Departamento de Agricultura dos EUA declarou que “continua a trabalhar em estreita colaboração com a Casa Branca, com o Departamento de Segurança Interna, com a JBS USA e outros para monitorar esta situação de perto e oferecer ajuda e assistência para mitigar quaisquer possíveis questões de oferta ou preço”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos