Haddad e Tarcísio disputam segundo turno em São Paulo

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

A disputa do segundo turno em São Paulo é entre os candidatos Fernando Haddad, do PT, e Tarcísio de Freitas, do Republicanos. O petista vota na Brazilian International School, em Moema, na zona sul da capital paulista. Já Tarcísio vota na Escola Carlos Saloni, no bairro Jardim Apolo, em São José dos Campos, no interior do estado. No primeiro turno, o candidato do Republicanos conquistou 42,32% dos votos válidos e Haddad ficou com 35,7%.

O estado de São Paulo tem 34.667.793 eleitores aptos a votar neste domingo (30). No primeiro turno, o comparecimento foi de 78,38%, exatamente 27.173.228 votantes, uma abstenção de 21,62%. A maior abstenção (5%) ocorreu entre eleitores aptos com mais de 80 anos de idade. O voto é facultativo para quem tem 70 anos ou mais.

Notícias relacionadas:

Os paulistas representam 22,16% do eleitorado do país. O estado tem 645 municípios, com 393 zonas eleitorais; 10.849 locais de votação, onde ficam espalhadas as 101.628 seções para votação. Em relação às eleições municipais de 2020, houve um acréscimo de mais de 1,1 milhão de eleitores aptos.

Ao mesmo tempo que São Paulo tem o maior eleitorado, tem também o município com a menor quantidade de eleitores: Borá tem 1.040 cidadãos aptos a comparecer às urnas – dois a menos que o segundo menor eleitorado nacional, Araguainha, no Mato Grosso.

Biografia

Fernando Haddad, de 59 anos, é professor universitário e cientista político. É formado em direito pela Faculdade do Largo São Francisco e doutor em filosofia. Leciona ciência política na Universidade de São Paulo (USP). Foi ministro da Educação e prefeito de São Paulo. É casado com Ana Estela Haddad e pai de dois filhos. A vice na chapa é a diretora escolar Lucia França.

Tarcísio Gomes de Freitas é servidor público de carreira, tem 47 anos, é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e graduado em engenharia no Instituto Militar de Engenharia. Fez parte da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti. Trabalhou nas áreas de infraestrutura e investimento, foi presidente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e ministro da Infraestrutura. O vice na chapa é o administrador Felicio Ramuth.