Haddad: País quer democracia, não Ditadura

Presidenciável pelo PT, Fernando Haddad. (Foto: Márcio Reis/Futura Press)

Candidato à presidência pelo PT, Fernando Haddad garantiu que não iria fazer ataques aos adversários na corrida eleitoral. O petista afirmou que o Brasil “Não quer ditadura” ao ser questionado sobre a possível disputa com Jair Bolsonaro (PSL).

Haddad também foi questionado pelo site “Uol” sobre a propaganda eleitoral de Geraldo Alckmin (PSDB) que tem pregado que votar em Bolsonaro é permitir que o PT retorne ao poder, mas não se manifestou.

Ibope: Bolsonaro e Haddad seguem liderando com folga
Ibope/CNI: brancos e nulos diminuem
Marina promete ampliar oferta de creches de 30% para 50% das crianças até 3 anos
Ex-mulher que nega ameaça de morte usa nome de Bolsonaro para concorrer à Câmara

Fernando Haddad também afirmou que o Brasil precisa de propostas e boas ideias. “o Brasil está precisando de mais paz e respeito mútuo”. “Então, nossa linha de campanha até o final vai ser de propostas e não ataques. Eu penso que eles estão fazendo muito ataques e poucas propostas”, argumentou.

Por fim, ele defendeu a necessidade de se manter a disputa eleitoral dentro dos limites democráticos. “Mais proposta, e não ataque. O país quer paz e democracia, não quer ditadura. Quer discutir direitos, trabalho e educação. O país quer olhar para o futuro, quer olhar para como nós vamos fazer para tirar o país da crise”, finalizou.