Haddad reforça defesa de câmeras em fardas: “Está salvando vida de policiais”

Fernando Haddad afirmou que pretende contratar 15 mil novos policiais civis para São Paulo (Foto: DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)
Fernando Haddad afirmou que pretende contratar 15 mil novos policiais civis para São Paulo (Foto: DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)

Candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), reforçou a defesa do uso de câmeras nas fardas de policiais. Para o petista, a política não causa constrangimento e protege os agentes.

“Tudo que salva uma vida é importante. Eu vou manter a câmera e vou expandir, acho muito interessante essa ideia. E não vejo nenhum constrangimento para policiais, porque está salvando vidas de policiais. É uma coisa que tem que ser mantida e aperfeiçoada, vamos expandir e aperfeiçoar o programa”, afirmou Fernando Haddad em entrevista à rádio CBN e aos jornais O Globo e Valor Econômico.

Os dois principais concorrentes de Haddad ao Palácio dos Bandeirantes, Rodrigo Garcia (PSDB) e Tarcísio de Freitas (Republicanos), têm posições distintas. O tucano voltou atrás e passou a apoiar as câmeras, prometendo ampliar o uso. Já o candidato bolsonarista quer revogar a medida.

Ainda sobre segurança pública, Haddad afirmou que as câmeras são apenas um ponto em um plano maior de governo. Um dos pontos levantados pelo petista é sobre a necessidade de ampliar a capacidade de investigação por parte da Polícia Civil de São Paulo.

“São Paulo está perdendo a capacidade de investigar crime. Nós não temos uma polícia investigativa, e é essa que resolve o problema da segurança pública. Resultado, como você foi depreciando a polícia civil, tanto do ponto de vista salarial quanto de efetivo, o que aconteceu? A PM começou a abrir um centro de investigação, porque a Polícia Civil não faz, a PM resolveu fazer. E o MP abriu também. Nenhum problema, mas quem deveria investigar, não investiga, porque não tem efetivo. Está faltando 15 mil homens na Polícia Civil.”

Segundo Fernando Haddad, em um eventual governo, seriam pactuadas metas com os agentes, para melhorar os resultados.

Lula e igrejas

Ao longo da entrevista, Haddad também saiu em defesa do ex-presidente Lula (PT), acusado por opositores de querer fechar igrejas. Segundo o petista, a acusação é “ridícula”.

“O Lula aprovou o estatuto da liberdade religiosa, foi aplaudido por todos os pastores no Planalto, o Lula é um católico praticante, a Marisa era uma católica até fervorosa”, afirmou, em referência à esposa falecida do ex-presidente.

Segundo Haddad, as acusações são criadas por aqueles que estão atrás nas pesquisas de intenção de voto. “Está perdendo eleição e inventa história e começa a inventar história de fechar igreja.”