Haddad revoga trem da alegria da Receita Federal no exterior

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, cancelou o envio de dirigentes da Receita Federal na gestão Jair Bolsonaro para cargos bem remunerados no exterior.

As nomeações haviam sido publicadas a dois dias do fim do governo, como noticiou a coluna neste sábado.

O ex-secretário especial da Receita, Julio Cesar Vieira Gomes, assumiria um posto em Paris com salário de embaixador. Outros três dirigentes seriam enviados para Bruxelas, Buenos Aires e Abu Dhabi.

Para acomodar todo o grupo, Bolsonaro ampliou de quatro para nove os postos de representação da Receita no exterior.

Em decreto publicado no Diário Oficial desta segunda (2), o presidente Lula e o ministro Haddad tornaram as nomeações sem efeito e extinguiram todas as adidâncias tributárias.

Os adidos que já estavam no exterior antes do trem da alegria terão que retornar ao país no prazo de 30 dias.