Haddad, Rodrigo e Tarcísio confirmam participação em debate da Folha e do UOL

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Fernando Haddad (PT), Tarcísio de Freitas (Republicanos) e Rodrigo Garcia (PSDB), os três candidatos mais bem colocados na pesquisa Datafolha mais recente para o Governo de São Paulo, confirmaram presença no debate promovido pela Folha e pelo UOL no próximo dia 19 de setembro.

O encontro acontecerá entre 10h e 11h30.

O petista lidera o Datafolha 34% das intenções de votos, seguido por Tarcísio e Rodrigo, ambos empatados com 13% --a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Para Haddad, que comandou a Prefeitura de São Paulo entre 2013 e 2016, o debate "é mais uma ferramenta que permite aos eleitores o conhecimento dos objetivos dos candidatos e empresta transparência as suas intenções."

Tarcísio, ex-ministro do governo Jair Bolsonaro (de 2019 até março deste ano), afirma ser "mais uma excelente oportunidade de mostrar propostas e apresentar novas soluções para problemas antigos do estado de São Paulo".

Rodrigo diz que essa "será uma grande oportunidade para que a população de São Paulo conheça as nossas realizações e propostas e compare com as dos adversários".

"Temos o melhor plano para o futuro e o progresso de São Paulo e a convicção que essa guerra ideológica dos nossos adversários não resolve os problemas e nem enche a barriga de ninguém", disse o atual governador do estado.

O debate será dividido em três blocos, sem intervalo entre eles. Não haverá plateia, e cada candidato terá permissão para levar até dois assessores, que não terão acesso ao estúdio durante o evento.

Cada candidato terá um banco de 15 minutos para falar. Deste tempo, será descontado o que foi gasto com cada resposta. As perguntas feitas podem ter no máximo 20 segundos e não serão contadas no banco de tempo. Interrupções dos moderadores também não serão descontadas.

Os candidatos vão poder fazer uso da palavra em qualquer resposta, mesmo que a pergunta não tenha sido dirigida a ele. Para isso, deve sinalizar com a mão o seu desejo de falar. Os comentários feitos serão descontados do banco. Não serão permitidas interrupções durante as falas de outros candidatos.

Também não será permitido o uso do celular ou nenhum outro material de consulta durante o debate. Também não será permitido falar com os assessores.

No caso de algum candidato se sentir prejudicado durante a contagem de tempo, sua equipe deverá solicitar análise para a organização do debate. Caso isso ocorra durante os comentários finais, a solicitação pode partir imediatamente do próprio candidato.

No primeiro bloco serão feitas quatro perguntas para os candidatos. A ordem das respostas será definida em sorteio.

No segundo, os candidatos farão perguntas entre si, com tema livre, em ordem definida por sorteio. Cada candidato fará uma pergunta dirigida a qualquer outro candidato; os demais podem utilizar seu banco de tempo para comentar.

Na terceira e última parte, os candidatos respondem a quatro perguntas de líderes sociais escolhidos pelos organizadores.

As campanhas não saberão com antecedência quem são os líderes escolhidos. As questões serão sobre temas pré-definidos, gravadas antes da realização do evento e exibidas apenas no momento do debate.

Ao fim do debate, os candidatos terão, cada um, até um minuto para realizar suas últimas considerações. Se a moderação permitir, podem ser concedidos até 12 segundos para que terminem de expor o raciocínio de encerramento.