Hamas denuncia ataque "bárbaro" israelense que atingiu hospital infantil

·2 minuto de leitura
Chamas após ataque aéreo israelense na cidade de Khan Yunis, sul da Faixa de Gaza, em 16 de setembro de 2020

O grupo palestino islamita Hamas denunciou neste sábado os "bárbaros" bombardeios noturnos que, afirma, atingiram um hospital infantil na Faixa de Gaza, enquanto o exército israelense afirmou que respondeu o lançamento de foguetes a partir do território.

O exército do Estado hebreu informou que atingiu três alvos do Hamas, incluindo um local de fabricação de foguetes, uma infraestrutura subterrânea e um posto militar, depois que dois foguetes foram lançados a partir da Faixa de Gaza contra Israel.

Mas o Hamas, que controla Gaza, afirmou em um comunicado que um "bárbaro" ataque israelense provocou danos em um hospital infantil e em um centro para pessoas com necessidades especiais.

Fontes médicas de Gaza informaram que os ataques deixaram dois civis levemente feridos, incluindo uma criança.

"O Hamas pagará as consequências por qualquer ato de terror procedente de Gaza", afirmou o exército israelense no Twitter.

As sirenes tocaram na sexta-feira à noite na cidade portuária sulista de Ashkelon e na área que cerca a Faixa de Gaza, de acordo com um comunicado do exército.

"Dois foguetes foram lançados da Faixa de Gaza contra o território israelense", afirma o comunicado do exército, que destaca que foram interceptados pelo sistema de defesa antiaérea Cúpula de Ferro.

Os serviços de emergência israelenses indicaram que várias pessoas receberam tratamento porque estavam em estado de choque.

O grupo palestino islamita Hamas, que Israel considera uma organização "terrorista", assumiu o controle de Gaza em 2007, após uma quase guerra civil com o Fatah, movimento rival palestino e principal integrante da OLP.

Desde então, Hamas e Israel protagonizaram três guerras devastadoras no território, onde moram quase dois milhões de palestinos.

Israel mantém um bloqueio que paralisa a Faixa de Gaza, com o argumento de evitar que o Hamas obtenha armas.

az-jjm/lg/age/eg/fp