Hamilton perde esperanças de título da Fórmula 1: 'Obviamente, não estamos lutando por este campeonato'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Lewis Hamilton deu a entender que perdeu as esperanças de ganhar o oitavo campeonato mundial de Fórmula 1 este ano, depois de ficar 50 pontos atrás de Charles Leclerc, da Ferrari, em Imola, neste sábado. "Obviamente, não estamos lutando por este campeonato", disse o britânico à televisão "Sky Sports", após terminar em 14º a sprint race que definiu o grid de largada para o GP da Emilia Romagna de domingo: "Mas estamos lutando para entender o carro e melhorar e progredir ao longo do ano. Isso é tudo o que podemos esperar agora."

A Mercedes venceu os últimos oito títulos de construtores, mas não conseguiu na sexta-feira levar um carro para a fase final da qualificação pela primeira vez desde 2012. E caiu para o terceiro lugar na classificação neste sábado.

Hamilton, o piloto de maior sucesso do esporte de todos os tempos, com 103 vitórias, afirmou que muito trabalho está sendo feito para resolver os problemas do carro, mas "é o que é": "Em última análise, não acertamos este ano, mas todos estão trabalhando o máximo que podem para corrigir".

Leclerc venceu duas das três primeiras corridas da temporada, conquistou três pontos de bônus pelas voltas mais rápidas e terminou em segundo lugar, atrás de Max Verstappen, da Red Bull, no sprint de Imola, que lhe rendeu mais sete pontos.

O monegasco está agora 40 pontos à frente do adversário mais próximo e companheiro de equipe Carlos Sainz, com todas as chances de aumentar essa vantagem ainda mais no domingo.

O chefe da equipe da Mercedes, Toto Wolff, disse que eles precisam sair do buraco. "Provavelmente hoje foi o pior momento dessas quatro primeiras corridas", afirmou o austríaco: "É óbvio que não estamos nem perto da luta que temos pela frente e seria bastante irreal afirmar que temos uma vaga entre os favoritos para lutar pelo campeonato."

Wolff reconheceu que a frustração e a pressão estavam aumentando, mas minimizou os relatos de discussão com Hamilton na garagem da Mercedes. Assegurou ainda que a equipe não está descendo ladeira abaixo. "É muito engraçado como está sendo interpretado", opinou, acrescentando que ele e Hamilton compartilharam a frustração pela desempenho ruim: "Era basicamente o mesmo ponto de vista e pura raiva. Não há divisão, não há culpa nem nada disso."

Wolff disse que marcar pontos tinha que ser o requisito mínimo, mas o carro não é bom o suficiente e o fim de semana de Imola parece uma perda

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos