Hamilton vence GP de Portugal, supera Schumacher e se torna o piloto com mais vitórias na história da Fórmula 1

Extra
·2 minuto de leitura
Auto: Formula One - Portuguese Grand Prix 2020
Auto: Formula One - Portuguese Grand Prix 2020

Histórico. Era questão de tempo para Lewis Hamilton superar o recorde de vitórias de Michael Schumacher e, enfim, ele foi batido. As 66 voltas do GP de Portimão, em Portugal, neste domingo, serviram para coroar o piloto da Mercedes, que agora é o maior vencedor da história da Fórmula 1. São 92 no total, superando o alemão. Esta última com enorme vantagem para o companheiro Valteri Bottas, segundo colocado, e Max Verstappen, da RBR, que completou pódio.

— Eu devo isso a Mercedes e todos na fábrica. É um privilégio trabalhar com ele. O que eu conquistei hoje era antes um sonho. Vai levar um tempo para a ficha cair. Não tenho muitas palavras no momento — declarou Hamilton.

De quebra, Hamilton chegou a oitava vitória na temporada e pode conquistar o heptacampeonato mundial daqui a duas corridas, na Turquia. O piloto da Mercedes chegou a a 256 pontos contra 179 de Bottas, aumentando sua vantagem na liderança do campeonato para 77 pontos.

Quem também se aproximou do título é a Mercedes, que pode assegurar o Mundial de Construtores na próxima corrida, em Imola, na Itália. A equipe alemã lidera a tabela com 435 pontos contra 226 da vice-líder RBR.

A corrida foi marcada por uma largada polêmica. O pole position Hamilton teve dificuldade para manter a posição e foi ultrapassado por Bottas e por Carlos Sainz, que liderou as primeiras voltas com a McLaren. Porém, não demorou para os pilotos da Mercedes se recuperarem e o britânico assumir a ponta na volta 20. Então, foi questão de tempo para garantir a vitória.

— Eu fiquei feliz de assumir a ponta depois da largada, mas depois disso fiquei sem ritmo. Eu esperava esticar a vida do primeiro jogo de pneus e trocar para os macios, mas acho que não faria a diferença — declarou Valtteri Bottas.

Também marcaram pontos, respectivamente, Charles Leclerc (Ferrari), Pierre Gasly (AlphaTauri), Carlos Sainz Jr. (McLaren), Sergio Pérez (Racing Point), Esteban Ocon (Renault) Daniel Ricciardo (Renault) e Sebastian Vettel (Ferrari).