Happy Hour do CEO da Hotmart precisa ter picanha e Toddynho

·1 min de leitura

João Pedro Resende falou que quase após dois anos ficar muito tempo em casa por causa da pandemia, seu local predileto é…a sua casa. “Tenho essa ousadia”, brincou.

Na parte gastronômica, o CEO não dispensa uma picanha com fritas. “Faço um churrasquinho toda semana para minha família. E é bom que você encontra em qualquer lugar do Brasil”, contou.

Entre seus hobbies está jogar videogame, mas a falta de tempo o está impedindo de praticar. “Gostava do Overwatch”, lembra o executivo do famoso game da Blizzard. “Mas eu gosto de criar coisas. Já cheguei a criar jogos de tabuleiro”, diz o CEO da Hotmart.

Leia também:

Na parte literária, a trilogia da Fundação, de Isaac Asimov, é a grande obra de sua vida. Um clássico, sem dúvida.

E na sétima arte, João lembra de Clube da Luta, um excelente filme de David Fincher. O CEO ainda revelou: “Tenho o Clube da Luta 2, que só saiu em quadrinhos. Comprei quando fui a Nova York”

Por que os negócios morrem cedo?

Em outro trecho da entrevista, o CEO da Hotmart contou sobre o início da trajetória da empresa e explicou porque muitos negócios morrem com pouco tempo de vida. “Eles precisam saber que problemas querem resolver e se isso faz sentido para as outras pessoas, clientes”, falou.

‘Construímos a empresa com o dinheiro guardado por mim e pelo meu sócio”, diz João Pedro Resende. Para ele, já no início da companhia, ele acreditava que nem todo conteúdo na internet ia ser gratuito.

A Hotmart nasceu exatamente dessa ideia de ser uma plataforma para quem quisesse trabalhar com a venda de conteúdos. “Quem falasse lá atrás que queria vender um PDF ou um livro, seria loucura”, diz o executivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos