Harrison Ford escapa de punição de agência dos EUA por incidente aéreo

Por Steve Gorman
Harrison Ford na Premiere Europeia de "Guerra nas Estrelas: O Despertar da Força", em Londres. 16/12/2015 REUTERS/Dylan Martinez/Files - RTSJP0J

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - O ator Harrison Ford, o audacioso piloto espacial de "Guerra nas Estrelas", poderá continuar pilotando aviões na vida real, após agentes federais encerrarem um inquérito sobre um incidente aéreo perto de Los Angeles sem multas ou outras punições, disse o advogado dele na segunda-feira.

Ford, de 74 anos, passou a ser investigado após ter erradamente sobrevoado um avião de passageiros da American Airlines com seu avião privado de motor único e ter pousado em uma pista de taxiamento em vez de em uma pista de pouso, no dia 13 de fevereiro, no aeroporto de John Wayne, em Santa Ana.

A Administração Federal de Aviação dos EUA determinou na conclusão de seu inquérito que "nenhuma ação administrativa ou de execução foi emitida," disse o advogado de Ford, Stephen Hofer em comunicado. "Ford mantém seu certificado de piloto sem nenhuma restrição".

O ator, que interpretou o contrabandista espacial e piloto do Millennium Falcon, Han Solo, na franquia "Guerra nas Estrelas", também foi citato pela agência pelo seu "longo histórico de cooperação" com as regulações da FAA e sua "atitude cooperativa durante a investigação", disse Hoffer.

Embora Ford não tenha recebido nenhuma punição, ele concordou em participar de uma "terapia de piloto" antes da FAA encerrar a questão, disse seu advogado. Esse foi o segundo acidente de Ford em mais de vinte anos como piloto licenciado.

Em 2015, ele bateu seu avião vintage em um campo de golfe perto do aeroporto de Santa Mônica, sofrendo ferimentos sérios e danificando severamente a aeronave. Ele disse a investigadores que ele não se lembrava dos momentos antes da queda do avião.