Harvey Weinstein será indiciado por assédio sexual no Reino Unido; entenda

Harvey Weinstein
Produtor já foi condenado nos Estados Unidos

O ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein será indiciado por crimes de assédio sexual contra uma mulher em Londres em 1996.

O Crown Prosecution Service (CPS), Ministério Público britânico, autorizou nesta quarta-feira (08/06) a Polícia Metropolitana a acusar formalmente o homem de 70 anos após uma análise preliminar de provas.

Após a investigação, a Polícia Metropolitana afirmou que a suposta vítima é uma mulher que atualmente está na casa dos 50 anos.

"O Crown Prosecution Service lembra a todos os interessados ​​que os processos criminais contra o réu estão ativos e que ele tem direito a um julgamento justo", afirmou Rosemary Ainslie, chefe da divisão especial de crimes do CPS.

O CPS disse que é "extremamente importante" que não haja relatos, comentários ou compartilhamento de informações online que possam prejudicar de alguma forma o caso.

O produtor de filmes como Pulp Fiction (1994), Shakeaspeare Apaixonado (1998) e Kill Bill (2003) foi condenado nos Estados Unidos em fevereiro de 2020 por estupro e agressão sexual e sentenciado a 23 anos de prisão.

As acusações no Reino Unido

Weinstein será indiciado por duas acusações de um crime classificado como "indecent assault" no Reino Unido, termo usado para caracterizar uma série de delitos sexuais ou agressão sexual.

Segundo a própria Polícia Metropolitana britânica, trata-se de um "ato de violação física, psicológica ou emocional na forma de ato sexual, infligido a alguém sem o seu consentimento''.

"Pode envolver forçar ou manipular alguém para testemunhar ou participar de qualquer ato sexual", diz a organização.

O CPS não divulgou muitos detalhes sobre o caso envolvendo Weinstein. A nota divulgada pelo órgão afirma apenas que os crimes aconteceram em Londres em agosto de 1996.

Ainda segundo o comunicado, uma vez que as acusações são autorizadas pelo CPS, o suspeito deve ser formalmente acusado pela polícia antes que o processo judicial possa começar.

Quem é Harvey Weinstein?

'Shakespeare Apaixonado', da Miramax, ganhou sete estatuetas do Oscar em 1999
'Shakespeare Apaixonado', da Miramax, ganhou sete estatuetas do Oscar em 1999

O produtor de cinema, hoje com 70 anos, é cofundador da empresa de entretenimento Miramax, que desafiou o domínio dos grandes estúdios de Hollywood e ganhou espaço próprio.

Weinstein e o irmão Bob estão por trás de uma série de filmes de sucesso nos anos 90, incluindo Sexo, Mentiras e Videotape, Traídos pelo Desejo, Pulp Fiction e Shakespeare Apaixonado — este último ganhou sete estatuetas do Oscar em 1999, incluindo o prêmio de melhor filme.

Sua influência na indústria cinematográfica pode ser exemplificada por um estudo que analisou os discursos de aceitação do Oscar.

Em 2015, o estudo constatou que Weinstein já havia sido citado ou elogiado em 25 discursos — tantas vezes quanto Deus —, perdendo apenas para o renomado diretor e produtor Steven Spielberg.

Condenação anterior

Weinstein foi sentenciado em fevereiro de 2020 por um juiz de Nova York a 23 anos de prisão, depois de ser considerado culpado de duas das cinco acusações de má conduta sexual às quais respondia na Justiça americana.

Ele foi condenado por estupro em terceiro grau e por ato sexual criminoso em terceiro grau, mas inocentado das acusações mais graves — de estupro em primeiro grau e do que é conhecido da legislação penal americana como "predatory sexual assault".

Mimi Haleyi (esq.) é uma das mulheres que acusaram Weinstein de assédio sexual
Mimi Haleyi (esq.) é uma das mulheres que acusaram Weinstein de assédio sexual

O caso foi considerado pelos especialistas em mídia e direito como um momento crucial no movimento #MeToo — a repreensão global ao assédio contra mulheres que se tornou viral graças às primeiras acusações contra Weinstein, em 2017.

Mais de 80 mulheres falaram publicamente contra ele, incluindo celebridades.

As primeiras declarações contra Weinstein surgiram em outubro de 2017.

O jornal The New York Times e a revista The New Yorker publicaram reportagens nas quais dezenas de mulheres acusavam o magnata de ter cometido crimes sexuais.

As atrizes Rose McGowan e Ashley Judd estão entre as mulheres que se apresentaram publicamente para relatar o assédio de Weinstein.

Entre as acusações, as mulheres alegaram que Weinstein obrigava as mulheres a massageá-lo e a vê-lo nu. Ele também prometia ajudá-las a alavancar suas carreiras em troca de "favores sexuais".

Isso desencadeou uma série de outras acusações, incluindo algumas de pessoas muito famosas de Hollywood, como Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow.

As acusações também envolviam funcionárias como a ex-assistente de escritório de Weinstein, Lisa Rose.

O julgamento em Nova York, porém, se referia aos crimes cometidos contra Jessica Mann e Mimi Haleyi.

Mann, uma ex-atriz, afirmou que o produtor a estuprou em um quarto de hotel em Manhattan, em 2013.

Haleyi, que trabalhou como assistente de produção, disse que Weinstein a forçou a fazer sexo oral nele em seu apartamento em Manhattan, em 2006.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos