Haters e problema judicial no início da Atom; os perrengues de Carol Paiffer

·1 min de leitura

Carol Paiffer aponta como o maior perrengue de sua vida profissional o processo de Oferta Pública de Aquisição (OPA) da empresa da qual é CEO e sócia. Em 2009, a Atom foi criada a partir da Inepar Telecomunicações, que já estava listada na bolsa de valores, mas que se encontrava em recuperação judicial. Um agravo fez com que a Atom permanecesse inativa por ano, desagradando os acionistas e gerando muita ansiedade na empresária.

Além disso, Carol fala sobre o desafio de entrar para a bancada do Shark Tank e sobre como tornar-se uma pessoa pública ao dividir conhecimento sobre o mercado financeiro nas redes sociais atraiu hatters para a vida. “Exigiu resiliência emocional”, afirma a investidora.

Carol Paiffer é CEO da ATOM S/A, empresa que tem uma frente de educação para formação de traders e que também atua como “mesa proprietária”, emprestando dinheiro para que os seus traders operem na bolsa de valores. Carol também é jurada do Shark Tank Brasil, programa de televisão onde empreendedores apresentam as suas ideias para uma banca de jurados-investidores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos