Havana festejará aniversário no mesmo dia de convocação de protesto opositor

·1 min de leitura
(Arquivo) Turistas caminham pelas ruas da cidade antiga de Havana, em Cuba, em 7 de maio de 2019 (AFP/YAMIL LAGE)

O Escritório do Historiador de Havana anunciou, nesta segunda-feira (8), dez dias de atividades culturais por ocasião do aniversário de 502 anos da capital de Cuba, festejos que terão seu "dia especial em 15 de novembro", mesma data em que a oposição convocou uma manifestação.

Será "um amplo programa cultural que começa amanhã, terça-feira, dia 9, e terá sua data especial em 15 de novembro, um dia muito importante, e do qual se fala muito nestes dias", disse a diretora-geral adjunta do Escritório, Perla Rosales.

No dia 15 está previsto o retorno do turismo internacional à ilha e a volta às aulas presenciais para os estudantes do ensino fundamental, depois de meses de fechamento por conta da pandemia.

Além disso, como parte das celebrações do aniversário da capital, haverá concertos, apresentações teatrais, visitas guiadas por lugares históricos e a tradicional volta à Ceiba, na cidade antiga de Havana, que costuma reunir multidões.

Contudo, para esse mesmo dia o grupo de reflexão política Archipiélago convocou uma manifestação pacífica para reivindicar a libertação de presos políticos.

Os organizadores insistem em sua intenção de realizar a marcha, mesmo depois que as autoridades proibiram o protesto e acusaram seus promotores de servirem aos interesses dos Estados Unidos.

A convocação é resultado das manifestações inéditas registradas em 11 de julho deste ano em Cuba, que deixaram um morto, dezenas de feridos e 1.175 detidos, dos quais 612 permanecem presos, segundo a ONG de direitos humanos Cubalex.

cb/lp/rsr/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos