Healthtech conecta pacientes a profissionais negros com programa de diversidade

Motivado pela dor de milhões de brasileiros exemplificada por um colega que queria a recomendação de um profissional da saúde negro após ter sofrido preconceito durante uma consulta médica, o dentista Arthur Lima criou, em 2019, uma plataforma na qual esses profissionais ganharam protagonismo e onde pacientes de qualquer etnia têm o poder de escolher ser cuidado por uma pessoa negra. “O básico do cuidado seria cuidar, tocar e ouvir o paciente. Mas isso não estava acontecendo, principalmente, com pessoas negras”, afirma Lima.

Ao lado do sócio, o jornalista Igor Leo Rocha, o dentista iniciou uma jornada empreendedora buscando informação e mentoria de quem já tinha experiência no mercado de tecnologia. Com o negócio já estruturado e operante, a AfroSaúde recebeu recursos de fundos focado em apoiar negócios fundados ou liderados por pessoas negras, como o Semente Preta (do Nubank) e o Black Founders Fund (do Google).

Hoje, a startup oferece um plataforma completa que acompanha toda a jornada do paciente: da busca de profissionais com filtro por região ao agendamento e pagamento online de consultas, que podem ser presenciais ou à distância pela própria ferramenta de telemedicina da AfroSaúde. Para os mais de mil profissionais cadastrados, a plataforma funciona como uma clínica digital e também como um sistema de gestão dos seus clientes e atendimentos.

Tecnologia Inclusiva

Após algumas dificuldades no início dos atendimentos remotos, a AfroSaúde investiu parte dos R$ 500 mil já arrecadados em tecnologia para atender também aquelas pessoas que estão na periferia e que, às vezes, não têm Wi-Fi e fazem a consulta com os dados do celular. “Agora, nós usamos uma ferramenta de telemedicina que permite encontrar um equilíbrio entre a banda de internet que o paciente tem e a qualidade que a consulta precisa ter”, afirma o CEO da healthtech.

Foco no Business to Business

Prestes a abrir uma rodada de captação para ampliar os investimentos em tecnologia e em comunicação, a AfroSaúde lançou, em 2022, um produto no modelo business to business (B2B). Com mais de 600 profissionais de psicologia e psicanálise em sua base, o foco da iniciativa é oferecer bem-estar e saúde mental para grupos de diversidade das empresas atendidas. “Quando falamos em diversidade e inclusão, sabemos que a saúde mental passa por dentro desta pauta. Não tem como nós fecharmos ações afirmativas sem pensar em saúde mental. Se estamos colocando mais pessoas pretas, mulheres e LGBTs em alguns espaços é preciso olhara para como elas estão para entrar e parmanecer nesses lugares, para que não haja rotatividade“ explica Lima.

Acadêmico e empreendedor

Natural de Salvador, Arthur Lima é dentista especialista em Saúde da Família e mestre em Saúde, Ambiente e Trabalho pela Faculdade de Medicina da Bahia, onde pesquisou e escreveu sobre a relação entre saúde mental e trabalho. Em 2019, fundou, ao lado do jornalista Igor Leo Rocha, a AfroSaúde, com a missão de conectar pacientes a profissionais da saúde negros. Ao longo dos últimos anos, a plataforma já viabilizou mais de mil atendimentos, sendo 90% deles direcionados à saúde mental da população negra. Em 2020, o soteropolitano foi eleito pela Revista Forbes Brasil como “Forbes Under 30” e foi reconhecido pelo MIPAD 100 como “Um dos 100 Afrodescendentes Mais Influentes do Mundo”