Heroína da Resistência morre no dia da celebração do fim da II Guerra

Cécile Rol-Tanguy no funeral de seu marido, Henri Rol-Tanguy, na presença do então presidente francês, Jacques Chirac, em 12 de setembro de 2002 em Paris

A heroína da Resistência francesa Cécile Rol-Tanguy morreu nesta sexta-feira (8), aos 101 anos, no dia em que se comemoram os 75 anos do aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, informou sua família à AFP em um comunicado.

Rol-Tanguy faleceu no meio do dia em sua residência em Monteaux, localidade do centro do país, informaram seus familiares.

"Com ela, desaparece uma das últimas personalidades da Resistência interior francesa e mais precisamente da Libertação de Paris, em agosto de 1944", acrescentaram no comunicado.

Era viúva do coronel Henri Rol-Tanguy, um dos artífices da libertação de Paris, que faleceu em 2002.

Cécile Rol-Tanguy passou quatro anos na clandestinidade durante a guerra e em 1944 foi ela mesma que escreveu a ordem de insurreição de Paris, ditada por seu marido, que se tornou líder do grupo resistente Forces Françaises de l'Intérieur (FFI), na região parisiense.

Oito dia depois, a capital francesa foi libertada.

"Era a memória de todas e todos os que se negaram a colaborar e lutaram contra o ocupante nazista", disse o secretário-geral do Partido Comunista francês, Fabien Roussel.