Herói do Grêmio, Cícero recebe salário de três clubes

Meio-campista bate de esquerda para fazer o gol da vitória gremista (Pedro Tesch/Gazeta Press)

Cícero não vai entrar para a história do futebol brasileiro apenas pelo gol que colocou o Grêmio na frente após a primeira final da Libertadores, na vitória por 1 a 0 em cima do Lanús, na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre. O volante é o único do país que recebe salário de três clubes diferentes: Fluminense, São Paulo e do próprio Grêmio.

A maluquice tem explicação: Cícero pertencia ao Fluminense, mas passou a ser considerado muito caro devido ao salário de R$ 700 mil por mês. A solução foi emprestá-lo para o São Paulo, de graça, até dezembro de 2018, para dividir pela metade seus vencimentos.

E funcionou assim durante os dez primeiros meses deste ano – com o Flu pagando R$ 350 mil e o São Paulo os outros R$ 350 mil. Cícero chegou a ser afastado do elenco profissional do Tricolor paulista por mau comportamento, mas continuou recebendo normalmente.

Até que, em outubro, Cícero rescindiu o contrato com o São Paulo mediante promessa de que receberá R$ 2,6 milhões – o valor equivale à metade do que teria direito nos 14 meses que restavam até o fim do empréstimo. Tal dinheiro será pago parceladamente até dezembro de 2018.

Horas depois de deixar o Morumbi, o jogador era anunciado como reforço do Grêmio até o fim deste ano, com salário na casa dos R$ 200 mil. Ou seja, Cícero embolsa hoje R$ 735 mil, sendo R$ 350 mil do Fluminense, R$ 185 mil do São Paulo e R$ 200 mil do Grêmio.

Indicado por Renato Gaúcho, Cícero fez nesta quarta-feira sua terceira partida no Rio Grande do Sul. Diante dos argentinos, ele esteve em campo por apenas 18 minutos. Em um de seus primeiros toques na bola, marcou o gol que garantiu a festa dos mais de 55 mil presentes na Arena do Grêmio.

Com uma curiosidade: como já havia estourado o limite de jogos permitido no Brasileirão, Cícero só pode atuar na Libertadores e, eventualmente, no Mundial.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: