Hillary Clinton afirma que Trump é um 'perigo para a democracia'

Hillary Clinton, ex-chefe da diplomacia americana

A ex-senadora americana Hillary Clinton disse nesta segunda-feira em Berlim que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é um "perigo para a democracia".

"Vou apoiar o candidato do nosso partido", quem quer que seja nas eleições de novembro, uma vez que "nosso presidente é claramente um perigo para a democracia e o nosso futuro", disse Clinton na abertura do festival de cinema de Berlim, onde apresentou "Hillary", uma minissérie documental sobre sua vida.

Contudo, não revelou qual pré-candidato das primárias do Partido Democrata é seu favorito para enfrentar o republicano Trump nas eleições presidenciais de novembro, acrescentando que esta é uma decisão dos "eleitores".

No documentário, apresentado em janeiro no festival de cinema de Sundance, ex-candidata presidencial derrotada por Donald Trump ataca Bernie Sanders, favorito nas primeiras prévias dos democratas.

"Esteve no Congresso durante anos, apenas teve o apoio de um senador. Ninguém o quer, ninguém quer trabalhar com ele, ele não fez nada", declarou na produção.

Nesta segunda-feira, Clinton justificou este comentário: "A política é um esporte de combate, muitas coisas são ditas. É claro que muitas coisas foram ditas sobre mim", disse à AFP.

Por outro lado, Clinton pediu "vigilância" contra informações erradas (as "fake news"), depois de acusações de interferência russa a favor de Trump e Sanders.

"Aqueles que tentam negar (interferência russa, vivem em um mundo imaginário", alertou.

"Cada vez mais", as potências estrangeiras tentarão influenciar as eleições na Europa e nos Estados Unidos, acrescentou.

"Se não protegermos nossa democracia, entregamos armas ... e perdemos o controle", concluiu.