Histórias e segredos do Bip Bip: o maior menor bar do mundo

·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Beth Carvalho, Cristina Buarque, Elton Medeiros, JardsMacalé, Moacyr Luz, Nelson Sargento, Walter Alfaiate... Uma turma de grandesnomes da música brasileira aparece nas imagens reunidas em homenagem ao Bip Bip, em Copacabana. No penúltimoepisódio da série de vídeos Sabor dehistória, do Rio Gastronomia, dedicada a clássicos salões e balcões dacidade, a atração é um boteco mínimo que seu proprietário tornou gigante.Alfredo Jacinto Melo (1943-2019), o Alfredinho, cansou da lida no mercadofinanceiro e assumiu as chaves da lojinha em 1984.- A partir do início dos anos 1990 o Bip vira um grandeponto boêmio, cultural, político – conta o jornalista e músico Tiago Prata, queresume a história diante das câmeras com a ajuda de Chiquinho Genu, outrocraque das cordas, e da cantora Alice Passos.Entre um “causo” e outro, os três fazem música. Lembramdivertidas manias de Alfredinho e as inesquecíveis noitadas musicais que a casaabrigou. O lendário Bip Bip segue sua história, nas mãos de habitués como Alice,Genu, Tiago e quem mais chegar.- É um lugar de encontros, afetos, música, boemia, porre,isso tudo – atesta Prata.Ao vídeo:9741397O Rio Gastronomia é uma realização do jornal O GLOBO comapresentação do Senac RJ e do Sesc RJ, patrocínio master do Santander,patrocínio de Naturgy e Stella Artois, apoio do Gosto da Amazônia, Água PousoAlto e Getnet, e parceria do SindRio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos