'Hoje se inicia nossa busca por justiça': o que disseram os familiares de Bruno Pereira e Dom Phillips

Protesto em Bruxelas de indígena contra o desaparecimento de Dom e Bruno
Familiares dos desaparecidos agradeceram ao esforço dos indígenas, que começaram as buscas poucas horas depois da notícia do sumiço

Familiares do indigenista brasileiro Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips manifestaram nesta quinta-feira (16/6) seu pesar após a notícia de que um pescador confessou ter assassinado ambos na Amazônia.

O pescador Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como "Pelado", confessou que matou ambos e levou policiais a um local onde restos mortais foram encontrados. O material foi enviado para perícia para que haja confirmação de que se trata dos corpos de Bruno e Dom.

"Embora ainda estejamos aguardando as confirmações definitivas, este desfecho trágico põe um fim à angústia de não saber o paradeiro de Dom e Bruno. Agora podemos levá-los para casa e nos despedir com amor", escreveu Alessandra Sampaio, esposa de Dom Phillips, que mora em Salvador (BA).

"Hoje, se inicia também nossa jornada em busca por justiça. Espero que as investigações esgotem todas as possibilidades e tragam respostas definitivas, com todos os desdobramentos pertinentes, o mais rapidamente possível."

A mulher do jornalista também fez um agradecimento a grupos indígenas que ajudaram nas buscas. Poucas horas depois do desaparecimento, indígenas da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) começaram a procurar os desaparecidos.

"Agradeço o empenho de todos que se envolveram diretamente nas buscas, especialmente os indígenas e a Univaja. Agradeço também a todos aqueles que se mobilizaram mundo afora para cobrar respostas rápidas. Só teremos paz quando as medidas necessárias forem tomadas para que tragédias como esta não se repitam jamais. Presto minha absoluta solidariedade com a Beatriz e toda a família do Bruno", diz Sampaio no texto.

Já a mulher de Bruno, a antropóloga Beatriz Matos, compartilhou no Twitter a nota de Alessandra e também uma manifestação da Univaja. Nesta quinta-feira (16/6), ela tuitou: "Agora que os espíritos do Bruno estão passeando na floresta e espalhados na gente, nossa força é muito maior".

Familiares do jornalista britânico no Reino Unido também emitiram um comunicado.

"Nós estamos arrasados com a confirmação de que Dom e Bruno foram assassinados e enviamos nossos pêsames mais profundos à Alessandra, Beatriz e as famílias brasileiras de ambos os homens. Agradecemos a todos que participaram das buscas, especialmente aos grupos indígenas que trabalharam incansavelmente para achar evidências do ataque."

A nota é assinada por Sian Phillips (irmã de Dom), Gareth Phillips (irmão), Paul Sherwood (parceiro de Sian), Helen Davies (cunhada), Domonique Davies (sobrinha), Rhiannon Davies (sobrinha).

"No seu devido tempo, vamos oferecer nossa perspectiva sobre as vidas corajosas e o trabalho importante desses homens notáveis", escreveram, pedindo que a imprensa respeite a privacidade da família neste momento.

Eles também colocaram um link para uma campanha de arrecadação de fundos para parentes próximos de Bruno e Dom.

- Este texto foi originalmente publicado em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-61830813

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos