Holanda sacrificará 215 mil galinhas após casos de gripe aviária

Extra com agências internacionais
·2 minuto de leitura
Foto: SANDER KONING / STR
Foto: SANDER KONING / STR

Cerca de 215 mil galinhas poedeiras serão abatidas depois que casos de gripe aviária foram detectados em uma granja no sul da Holanda, informou o ministério da Agricultura da Holanda nesta quinta-feira. A decisão foi tomada em razão da gripe H5N8, que também foi identificada em granjas na Alemanha e no Reino Unido.

"Em Puiflijk, no município de Druten, a gripe aviária foi detectada em uma fazenda com aves poedeiras", disse o ministério em um comunicado."Trata-se provavelmente de uma variante altamente patogênica da gripe aviária".

Todas as aves da fazenda, que tem cerca de 100 mil e onde oito morreram pela doença, serão abatidas para evitar a propagação do vírus, assim como as de uma granja localizada em um raio de um quilômetro, que tem 115 mil aves. É a segunda vez que o país conduz o procedimento para evitar a disseminação do vírus.

O risco para humanos é considerado baixo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o vírus da gripe H5N8 começou a se espalhar entre pássaros migratórios. Em dado momento, o vírus foi transmitido para as aves poedeiras em diferentes países europeus.

A ministra holandesa da Agricultura, Carola Schouten, proibiu o transporte de aves, ovos, esterco e chorume em uma área de dez quilômetros ao redor da fazenda, de acordo com o comunicado.

Cerca de 35,7 mil aves já foram abatidas no final de outubro em uma fazenda localizada a poucos quilômetros de Puiflijk. A cidade fica próxima da fronteira com a Alemanha, onde o patógeno foi primeiramente identificado. Schouten impôs confinamento preventivo em 23 de outubro para todas as granjas comerciais na Holanda depois que o vírus aviário altamente patogênico H5N8 foi detectado em dois cisnes, o que levou a França a intensificar suas medidas de prevenção.

As autoridades francesas declararam nesta quinta-feira 45 departamentos em "alto" risco de introdução da gripe aviária por aves migratórias, forçando em particular o confinamento das aves, na esperança de evitar o retorno desta doença terrível para a criação. Na última segunda-feira, a Inglaterra já havia determinado o sacrifício de 13 mil galinhas pela mesma razão.