Holiday diz que manterá 'distância segura' de Ciro Gomes em ato na Paulista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, BRASIL, o vereador Fernando Holiday antes do Ato Solene em Memoria as Vitimas do Holocausto, na sinagoga Etz Chaim. Coluna (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, BRASIL, o vereador Fernando Holiday antes do Ato Solene em Memoria as Vitimas do Holocausto, na sinagoga Etz Chaim. Coluna (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O vereador paulistano Fernando Holiday (Novo) diz que manterá "distância segura" de Ciro Gomes (PDT) no ato marcado para o próximo domingo (12) pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na avenida Paulista, em São Paulo.

O presidenciável já o chamou de "capitãozinho do mato", foi processado e condenado a pagar o valor de um carro ao parlamentar.

Ex-integrante do MBL (Movimento Brasil Livre), grupo que é um dos principais organizadores do ato, Holiday afirma que não concorda com o convite feito a Ciro,

"Ciro é condenado por ofensas racistas, tem um histórico autoritário no Ceará e já ameaçou “receber Moro na bala”, afirmou.

Segundo Holiday, aliar-se a ele e à esquerda radical é um "erro grotesco".

"Ambos são antidemocráticos. A única opção saudável para a democracia é a luta pelo impeachment, aliada à defesa de uma verdadeira terceira via", afirma. Ele deverá ficar no carro do movimento Vem Pra Rua na Paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos