Rússia declara que nunca provocou "guerras diplomáticas"

Moscou, 30 mar (EFE).- A Rússia nunca provocou "guerras diplomáticas" e está aberta a ter boas relações com todos os países, afirmou nesta sexta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, que ressaltou que a expulsão de 60 diplomatas americanos é uma resposta às ações não é amistosas dos Estados Unidos.

"A Rússia não desencadeou guerras diplomáticas, e o presidente (russo, Vladimir) Putin foi e é a favor de desenvolver boas relações com todos os países, inclusive com os Estados Unidos", disse Peskov a um grupo de jornalistas.

Segundo ele, a Rússia "não começou trocas de sanções, de expulsões de diplomatas etc".

O porta-voz rejeitou as críticas americanas e que qualificou de "lamentável" a expulsão ontem de 60 dos seus diplomatas em resposta a uma decisão similar adotada na segunda-feira pelo Executivo em Washington por causa do envenenamento em solo britânico do ex-espião duplo Sergei Skripal e da filha dele, Yulia.

Para a porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert, a decisão não foi boa.

"A Rússia tomou um caminho lamentável frente às nossas medidas perfeitamente justificadas", defendeu ela.

Peskov expressou desacordo com este ponto de vista e ressaltou que "a Rússia foi obrigada a adotar medidas de resposta". EFE