Homem é descoberto pela polícia após se gabar de invadir o Capitólio dos EUA em app de namoro

·1 minuto de leitura
Autoridades dos EUA disseram que evidências do aplicativo de namoro Bumble foram usadas para rastrear um suspeito no ataque de 6 de janeiro ao Capitólio

Após tentar contar vantagem no aplicativo de namoro Bumble sobre ter participado da invasão ao Capitólio dos Estados Unidos, um homem acabou enfrentando acusações criminais nesta sexta-feira (23), já que uma possível pretendente o entregou à polícia.

O processo contra Robert Chapman, que mora na cidade de Yonkers, no estado de Nova York, tomou forma com a ajuda de mensagens no Bumble, postagens no Facebook e vídeos capturados por câmeras da polícia, de acordo com uma denúncia criminal do FBI.

Chapman, que também usa o sobrenome Erick, é acusado de entrada violenta e conduta desordenada na sede do Congresso, apontou na denúncia o agente do FBI Kenneth Kroll.

Uma mulher alertou a polícia após receber uma mensagem no Bumble que dizia: "Eu invadi o Capitólio e cheguei até o Statuary Hall."

Kroll identificou Chapman como uma das pessoas que aparecem em vídeos feitos pelas câmeras nos corpos de policiais do Capitólio quando manifestantes invadiram o prédio em um ataque que deixou vítimas fatais em 6 de janeiro.

As provas do caso incluíam fotos do Facebook do homem acusado no Statuary Hall, corroborando o que ele relatou no Bumble.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi acusado de incitar a insurreição de 6 de janeiro.

gc/rl/ic